3 de fevereiro de 2011

Piso Estadual de Salários terá reajuste de mais de 7%

No dia 31 de janeiro as entidades sindicais de trabalhadores e de empresários entregaram ao governador do Estado Raimundo Colombo e ao vice-governador Eduardo Moreira uma proposta abonada por todos de reajuste para o Piso Estadual de Salário estabelecido pela Lei 459-2009.

Uma reunião pela manhã entre as entidades havia selado um acordo quanto aos valores finalizando um impasse que se arrastava desde agosto de 2010, período em que as centrais sindicais iniciaram as tentativas de diálogo com as entidades patronais e com o governo do Estado.

Ao receber o documento o governador elogiou a capacidade de diálogo entre as partes e destacou o ganho que este tipo de cenário gera para a economia estadual. “Posturas como estas fortalecem nosso discurso de atração de novos empreendimentos para o Estado”, destacou ao agradecer o empenho das entidades. Colombo se comprometeu em enviar já na próxima semana, quando iniciam os trabalhos na Assembleia Legislativa, o projeto em regime de urgência.

Segundo o coordenador sindical do DIEESE Ivo Castanheira este é um momento histórico para o movimento sindical catarinense. “É a primeira vez que há esse tipo de acordo consensuado entre trabalhadores e patrões”, declarou.

O termo assinado prevê que os pisos terão um reajuste superior a 7% e valerão a partir de 1º de janeiro de 2011. Divididos em 4 categorias passarão de R$ 587,00 para R$630,00, de R$ 616,00 para R$660,00, de R$647,00 para 695,00 e de R$679,00 para R$ 730,00.

Ainda que abaixo dos 10,85% pleiteados pelo movimento sindical nas negociações, o reajuste concretiza a luta pela implantação, cumprimento e reconhecimento do Piso iniciado em 2006.

“O povo catarinense obteve uma extraordinária conquista do reajuste do piso salarial estadual e, com ele, o reconhecimento pela classe empresarial, da legalidade e importância desse instrumento na distribuição de renda e desenvolvimento sustentável do nosso Estado. Conseguimos um reajuste acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que é de 6,46%”, destaca Neudi Giachini, presidente da CUT-SC.

De acordo com cálculos do Dieese, a mudança afetará os salários de aproximadamente 518 mil trabalhadores e torna o mínimo regional o segundo melhor do país. "O desfecho foi excelente, conseguimos negociar um reajuste acima da inflação e, principalmente, consolidar a Lei que institui os pisos", comemorou o supervisor técnico do Dieese, José Álvaro Cardoso.

Além de Castanheira, que também representou a FECESC, assinaram o termo o presidente da FIESC Alcantaro Corrêa, o presidente da FETIAESC Miguel Padilha, da FETICOM/SC Carlos Alberto Baldissera, da NCST/SC Altamiro Perdoná, da FETIESC Idemar Antônio Martini, da FETIMMMESC Ari Oliveira Alano, da CUT/SC Neudi Giachini, da UGT/SC Moacir Pedro Rubini, da FORÇA SINDICAL Osvaldo Mafra e da Fetroesc Rubens Müller.

Abaixo segue a nova tabela:
Lei 459/2009      Reajuste janeiro 2011
R$ 587,00          R$ 630,00
R$ 616,00          R$ 660,00
R$ 647,00          R$ 695,00
R$ 679,00          R$ 730,00

Fonte: FECESC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...