28 de junho de 2013

Nota 10

Não é de hoje, mas esta semana ficou bem evidente em duas situações. O atendente que te vendeu o celular, ou que te prestou um serviço pelo telefone, avisa que uma pesquisa de satisfação será enviada e pede que a avaliação seja positiva, "Não precisa dar 15, avisa sorridente, a nota é de zero a 10 e dez já tá bom."

Certamente a nota recebida contribui para a satisfação, ou não, da empresa com o seu trabalhador e quem sabe para um percentual maior ou menor no salário. Não me parece justo indexar a satisfação do cliente com o salário do atendente. Minha revolta pode ser com a empresa e será descontada no pobre. Sem contar que tem empresa que nem o melhor atendimento faria com que eu desse nota 10.

A tentação autoritária da mídia

Por Marco Piva - Quem tem acompanhado a recente onda de protestos que se espalham pelo país já percebeu que, como tudo na vida, existe algo de bom e algo de ruim nisso tudo. O bom é que as manifestações acontecem aos borbotões, por causas variadas e justas em sua maioria, num processo de acúmulo de forças que emparedou os poderes institucionais, principalmente a classe política. A exigência de mudanças radicais é nítida e bem vinda. O ruim é que a vocalização das reivindicações é organizada de forma subjetiva, quase particular, a partir de sentimentos difusos e aí, ao contrário do que alguns defendem, a própria democracia corre riscos.

21 de junho de 2013

Video: Não confie na Grande Mídia



Brasil de Fato 

"Atualmente, estima-se que sete grupos controlam 80% de tudo que é visto, ouvido e lido na mídia brasileira:

1) Família Marinho - Detém 223 veículos de comunicação próprios ou afiliados, dentre eles a emissora de TV de maior audiência (Rede Globo), o terceiro jornal em tiragem no país (O Globo), a maior operadora e distribuidora de TV a cabo (NET), um dos portais mais acessados da internet (Globo.com), uma produtora e distribuidora de cinema (Globofilmes), 30% das emissoras de rádio FM e AM (incluindo a rede CBN) e um sistema de produção de canais para TV a cabo (GloboSat).

2) Família Civita - Possui a maior editora de revistas, fascículos e periódicos do país (Abril), uma divisão de distribuição e produção de vídeos (Abril Vídeo), uma emissora de televisão (MTV), uma operadora de sistema de TV a cabo (TVA), além de participação na DirecTV. São sócios do maior portal de conteúdo de língua não-inglesa do mundo (UOL).

3) Igreja Universal do Reino de Deus - Possui a segunda maior rede de TV do país (Record) e outras emissoras menores, como a Rede Mulher e a Rede Família.

4) Família Abravanel - Controla a 3ª rede de emissoras de televisão do país (SBT), mantém parcerias com produtoras e estúdios de cinema multinacionais.

5) Família Frias - Possui o jornal mais lido do país (Folha de S.Paulo), um instituto de pesquisas de opinião pública (DataFolha), outros jornais menores, parte do UOL, uma agência de notícias (Agência Folha ) e parte de um dos mais influentes jornais de economia (Valor Econômico), em parceria com O Globo.


6) Família Saad - Controla a Rede Bandeirantes, as emissoras da Rádio Bandeirantes AM e FM e detém ainda o Canal 21, de grande alcance na capital paulista.

7) Família Mesquita - Possui a segunda maior circulação em jornais no país (O Estado de S.Paulo), os tradicionais Jornal da Tarde e Rádio Eldorado FM, a Agência Estado e uma emissora de televisão no interior do Maranhão (TV Itapicuru Ltda)."

4 de junho de 2013

Seminário discute imprensa sindical nos dias 4 e 5 de julho em Florianópolis

Com o tema “Por que a luta dos trabalhadores não é notícia?” O 1º Seminário Unificado de Imprensa Sindical traz para a discussão a imprensa sindical e as perspectivas de fortalecimento desse importante instrumento de disputa de hegemonia.

O seminário acontece nos dias 4 e 5 de julho de 2013, no Hotel Oceania (Rua do Marisco, 550, Ingleses) em Florianópolis/SC. Essa é uma iniciativa do Sindprevs/SC, Sinasefe, Sintrajusc, SEEB Florianópolis e Sindaspi.

A programação conta com as seguintes palestras: Lei dos meios: o desafio de quebrar o poder dos grandes grupos de comunicação; os desafios do Sindicalismo e seus reflexos na comunicação sindical; a disputa da mídia alternativa com a imprensa burguesa e as condições de trabalho e as dificuldades de se avançar no jornalismo sindical.

O evento é voltado para jornalistas, assessores de comunicação, dirigentes sindicais e estudantes na área de comunicação. Será um importante espaço de debate para avançarmos no jornalismo sindical e na unidade da luta da classe trabalhadora.

Confira os palestrantes do 1º Seminário Unificado de Imprensa Sindical em Santa Catarina:

Julio Rudman

Jornalista argentino. Sua militância jornalística o tornou uma referência na formação jornalística, profissional e militante. Por seu livro “Buena Letra”, com 18 entrevistas a Academia Nacional de Jornalismo lhe outorgou o Prêmio à criatividade. Também obteve o Prêmio Juan Rulfo da Rádio França Internacional. Há 18 anos é apresentador do programa diário El Candil, na Rádio Nacional Argentina. É colunista de Rádio del Sur de Caracas, da Revista “Sin pelos en la lengua (Sem papas na língua)” de Mendoza e do Portal Desacato do Brasil. É um dos selecionados, em 2013, ao Prêmio Doutor Honoris Causa por sua luta em favor da democratização dos meios de comunicação.

Laurindo Lalo Leal Filho

Doutor em Ciência da Comunicação pela USP, com pós-doutorado no Goldsmiths College da Universidade de Londres. É professor da Escola de Comunicação e Artes da USP e publicou entre outros livros “Atrás das Câmeras: relações entre Estado, Cultura e Televisão” e “A TV sob controle: a resposta da sociedade ao poder da televisão”. Foi ouvidor-geral da Empresa Brasil de Comunicação (2008-2011). Dirige e apresenta o programa VerTV, transmitido pela TV Brasil e pela TV Câmara. É colunista da Revista do Brasil e do portal Carta Maior. Atuou na TV Globo, Cultura, Gazeta e Bandeirantes. Também foi secretário de Esporte, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo (gestão Luiza Erundina)

Vito Giannotti

Autor de mais de 20 livros sobre história das lutas dos trabalhadores, comunicação sindical e linguagem. Ministra cursos e palestras sobre estes temas em sindicatos de todo o Brasil. Italiano e ex-metalúrgico, vive no Brasil há quase 50 anos e vê a comunicação sindical como importante ferramenta de disputa de hegemonia na sociedade. É coordenador do Núcleo Piratininga de Comunicação.

Raul Fitipaldi

Jornalista e um dos fundadores do Portal Desacato. É co-fundador e presidente da Cooperativa de Produção em Comunicação e Cultura (CpCC), única com essas características no Brasil. Com o filósofo Paulo Corps Jaunsolo, criou a primeira revista de jornalismo comunitário de Montevidéu, Uruguai: Pocitos Revista. No Brasil desde finais de 1991, escreve artigos, faz entrevistas e participa de rádio, televisão e publicações diversas, todas com matrizes progressistas e focando os movimentos sociais e a união da América Latina.

Elaine Tavares

Jornalista e pesquisadora do Instituto de Estudos Latino-Americanos. É uma das editoras da Revista Brasileira de Estudos Latino-Americanos. Também é uma das editoras da Revista Pobres e Nojentas e membro da Rádio Campeche. Autora dos livros "Porque é preciso romper as cercas: do MST ao jornalismo de libertação" e "A Utopia na Reportagem".

Celso Martins da Silveira Júnior

Bacharel em História pela Udesc, Celso é jornalista desde 1976. Atuou nos jornais O Estado e A Notícia, é autor de livros sobre as lutas sociais e políticas em Santa Catarina. Atualmente é editor do portal de notícias Daqui na Rede.

Leonor Costa

Jornalista e militante sindical. Trabalhou como jornalista de várias entidades sindicais, tendo coordenado durante 11 anos o setor de comunicação da Fenajufe. Atualmente é jornalista do PSOL Nacional e diretora do Sindicato dos Jornalistas do DF.

Samuel Lima

Jornalista. Doutor em Mídia e Conhecimento pela UFSC, atualmente é docente da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília e colaborador-docente do curso de Jornalismo da UFSC.


1º Seminário Unificado de Imprensa Sindical
Hotel Oceania em Florianópolis/SC (rua do Marisco, 550, Ingleses)
Dias 4 e 5 de julho/2013
Público alvo: jornalistas, assessores de comunicação, dirigentes sindicais e estudantes na área de comunicação.
Vagas limitadas
Relização: Sindprevs/SC - Sinasefe - Sintrajusc - SEEB Florianópolis - Sindaspi
Informações: imprensa2@sindprevs-sc.org.br e imprensa@sinasefe-sc.org.br ou pelos fones (48) 3224.7899 (com Marcela Cornelli das 13h às 18h) e (48) 3028-5787 (com Luciano Faria das 13 às 18h)
Inscrições de 10 de maio a 21 de junho de 2013
Valores com hospedagem* (valor por pessoa e referente a uma diária)
Apto Single: R$ 313,00
Apto Duplo: R$ 223,00
Apto Triplo: R$ 209,00
*Hospedagem no Hotel Oceania, local do evento e com café da manhã.
Inscrição sem hospedagem: R$ 115,00
Estudantes: R$ 50,00 (sem hospedagem)
Os valores acima com ou sem hospedagem também incluem: transporte (Centro/Ingleses), almoço nos dias 4 e 5, café da tarde no dia 4 e jantar de confraternização no dia 4.
Dúvidas sobre hospedagem e translado enviar e-mail para: eventos@sindprevs-sc.org.br

Como se inscrever?
1 - Preencher o formulário no site do Sindprevs/SC em Eventos 25 anos
2 - o valor da inscrição deve ser depositado no Banco do Brasil, agência 4236-6, conta nº 7011-4 ou na Caixa Econômica Federal, agência 1078, operação 003, conta nº 333-9. (CNPJ Sindprevs/SC: 782671430001-51)
3 - o comprovante do depósito da taxa de inscrição deve ser enviado através do e-mail: imprensa2@sindprevs-sc.org.br com o nome completo do participante.
4 - a inscrição estará sujeita a confirmação após o envio do comprovante do depósito.

Programação:

Dia 4/7 (quinta-feira)
9h - mesa de abertura
9h15min - palestra Lei dos Meios: o desafio de quebrar o poder dos grandes grupos de comunicação.
Palestrantes: - Júlio Rudman, da Rádio Nacional da República Argentina e Laurindo Leal, sociólogo e jornalista.
11h - debate
12h30min – almoço
14h –palestra Os desafios do Sindicalismo e seus reflexos na comunicação sindical.
Palestrante: Vito Giannotti, do Núcleo Piratininga de Comunicação
14h40min – debate
16h – café
16h30min – painel: Fazendo a disputa de hegemonia.
Palestrantes: Raul Fitipaldi, do Portal Desacato e Cooperativa de Produção em Comunicação e Cultura; Elaine Tavares, da Rádio Comunitária Campeche e Celso Martins, do Daqui na Rede.
17h30min – debate
18h30min – encerramento das atividades
20h - jantar de confraternização

Dia 5/7 (sexta-feira)
9h30min – painel: Condições de trabalho e as dificuldades de se avançar no jornalismo sindical.
Palestrantes: Leonor Costa, jornalista e diretora do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal e Samuel Lima, jornalista e docente da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília.
10h – debate
11h – mesa de encerramento e encaminhamentos.
12h30min - almoço de encerramento

Durante o evento haverá espaço para exposição dos materiais dos sindicatos.
Haverá transporte saindo do Terminal Cidade de Florianópolis às 8h nos dois dias.

Fonte: Míriam Santini de Abreu