30 de abril de 2010

Grudou

O adesivo de bunda de caro que tá pegando, é esse que dá para montar a família. Repare. Tá disparado na frente de outros campeões da traseira: o rosário da santa e a flor de hibisco. Deve valorizar o carro, sei lá.
Imagine o vendedor no feirão: "e este tem tapetes prateados, luz azul no fundo e uma família na traseira com pai, mãe, irmãos e um peixinho. Combia com a sua? vai levar?

29 de abril de 2010

Pela Janela não. Em defesa do Concurso Público

O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de SC - SINJUSC promove nesta sexta-feirs, 30 de abril,  atos em defesa do concurso público em todas as comarcas do estado.
30 mil panfletos com uma carta aberta aos servidores do judiciário e à população serão entregue durante o dia em todos os Fóruns.
No documento o sindicato ressalta que o concurso público inibe apadrinhamentos e evita que o interesse de alguns se sobreponha ao interesse de toda a população.
Hoje, existem no judiciário cerca de 1.000 cargos comissionados, aproximadamente 2.000 estágiários, muitos trabalhando gratuitamente e outros 500 terceirizados, inclusive realizando atendimento e movimentando processos.
Quase a metade da força de trabalho do Judiciário catarinense entrou pela janela, não passou pelo concurso público. Tudo está sendo investigado pelo Ministério Público do Trabalho.
Veja o conteúdo da Carta:

Em defesa do Concurso Público
Carta aberta aos servidores do judiciário e à população

PÚBLICO, segundo lingüistas, é o que pertence ao povo. Tudo o que é público é do povo, é destinado aos cidadãos e à sociedade, que paga através dos impostos os salários dos trabalhadores públicos.
O hospital público não é dos médicos. A escola pública não é do diretor da escola. Assim como a Justiça não é dos desembargadores ou juízes.
Saúde, educação e justiça são serviços públicos essenciais, por isso tem o concurso público como forma de acesso aos cargos.
Pelo concurso as pessoas são selecionadas num processo democrático, baseado em conhecimentos e responsabilidades em que todos, inclusive você, podem concorrer.
O concurso evita os apadrinhamentos e evita que o interesse de alguns se sobreponha ao interesse de toda a população.
Neste dia, no Estado todo, os trabalhadores do judiciário estão mobilizados, em defesa de sua pauta de reivindicações e especialmente, para denunciar a precarização que vem ocorrendo no trabalho judiciário, reivindicando Provimento e Concurso Público para todos os cargos.
Talvez você não saiba, mas hoje, nos fóruns de Santa Catarina, grande parte do serviço prestado é feito por trabalhadores que estão no judiciário sem concurso público, seja como cargos comissionados, estagiários ou terceirizados.
É uma política das Administrações do TJSC que trata estudantes como mão-de-obra barata e burla constantemente o concurso público através da terceirização de serviços e do aumento do número de cargos comissionados.
Nos últimos anos foram criados mais de 500 cargos em comissão, burlando inclusive resoluções do Conselho Nacional de Justiça.
Hoje há cerca de 1.000 cargos comissionados no Judiciário, somados a aproximadamente 2.000 estagiários, muitos trabalhando gratuitamente e outros 500 terceirizados, inclusive em atividades fim do judiciário como atendimento e movimentação de processos.
Quase metade da força de trabalho do judiciário não passou pelo concurso público, o que motivou uma investigação do Ministério Público do Trabalho sobre o assunto, ainda em andamento.
Ao par desses números extravagantes de trabalhadores precários na maioria das comarcas faltam servidores efetivos. Em algumas varas com 4 ou 5 mil processos às vezes há apenas dois ou três funcionários efetivos, onde deveria haver 7. Há casos de comarcas onde existem vagas de oficial de justiça abertas há quatro anos e o TJ não realiza concurso.
São cargos de técnicos, oficiais de justiça, agentes de portaria, assistentes sociais e analistas jurídicos que não existem e comprometem à prestação de serviço à comunidade.
Nisto, resulta o atraso do inventário, a demora em se conseguir o remédio caro, no direito de se adotar uma criança, naquilo que não têm preço: a vida do cidadão.
Por isso hoje, nós queremos deixar claro mais uma vez nossa posição: Em defesa do Concurso Público, em defesa de um Serviço Público cada vez melhor e cada vez mais perto do cidadão.

28 de abril de 2010

Últimas da Laura

Eu te amo, sabia filha.
E ela: É? então vai lá e pega uma bolachinha pra mim.

Laura, você já contou quantos filmes tem?
_ Deixa eu ver... um, dois, três, quatro, cinco, seis... dezeoito, dezenove... já sei... tenho vários.

Ela aparece correndo espantada
_ Cristo dos céus, o Eric rolou.
Não era nada demais, apenas o irmão que tinha virado de bruços na cama.

De Olho na Capital em livro

O jornalista Cesar Valente lança hoje às 19h30min, na Assembléia Legislativa, no espaço cultural Jerônimo Coelho, seu primeiro livro, o "De Olho na Capital". É uma seleção do que de melhor foi publicado na coluna jornalística do mesmo nome, entre agosto de 2005 e agosto de 2007. De Olho na Capital.

Os 40 anos de Singradura com Flávio José Cardozo

Debate com o autor de Singradura, nesta quarta-feira, a partir das 19h, no plenarinho da ALESC. O convite do Sindicato dos Jornalistas de SC para este encontro com Flávio José Cardozo é para além da lembrança das quatro décadas do primeiro livro, nascido premiado no 1º Concurso Nacional de Contos do Paraná. É também para saber mais sobre a profissão de jornalista, que Flávio exerceu na redação como contador de histórias diárias, aquele que vê para além da notícia, o cronista. 

27 de abril de 2010

Rainbow

Depois da chuva, o Arco-iris. Foto de ontem lá pelas cinco da tarde.

Professores de Jornalismo aprovam Carta em Defesa da Formação

Reunidos em Recife, de 21 a 23 de abril, no seu 13º Encontro Nacional, os Professores de Jornalismo aprovaram a Carta do Recife em Defesa da Formação Superior para jornalistas. Leia íntegra:

Carta do Recife em Defesa da Formação Jornalística Superior

Diante dos crescentes impactos da decisão do Supremo Tribunal Federal que, em 17 de junho de 2009, aboliu a exigência de formação universitária específica para o exercício do Jornalismo, os participantes do 13º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo (ENPJ), realizado na Universidade Católica de Pernambuco, no Recife, entre os dias 21 e 23 de abril de 2010, reafirmam a urgente criação de mecanismos de regulamentação profissional ao Jornalismo. Em uma realidade marcada pelo oligopólio do controle dos principais meios de comunicação, seja em níveis regionais ou nacional, a regulamentação se torna um fator imprescindível para assegurar a produção de um jornalismo plural e pautado por interesses públicos. O desafio de ampliar a luta intransigente em defesa da formação universitária específica para o exercício do Jornalismo é um compromisso, urgente, de estudantes, docentes e profissionais da área, bem como dos setores da sociedade civil organizada.
Neste contexto, a proposta de criação de Novas Diretrizes Curriculares ao Ensino de Jornalismo - elaborada por comissão de especialistas nomeada pelo MEC, em 2009 -precisa ser urgentemente aprovada, possibilitando assim o fortalecimento do ensino e a formação profissional específica. Os participantes do 13º ENPJ defendem, assim, a imediata aprovação de diretrizes próprias ao ensino de Jornalismo, criando condições concretas para padronizar indicadores de qualidade e compromisso na formação universitária da profissão.
Numa perspectiva mais ampla, no âmbito da defesa do direito humano à comunicação, os professores de Jornalismo entendem que é fundamental dar conseqüência às decisões da 1ª Conferência Nacional de Comunicação, especialmente no que tange à implantação do Conselho Nacional de Comunicação. É urgente estabelecer debate público que contribua para a definição de um novo marco regulatório, que inclua dispositivos da extinta Lei de Imprensa e se torne instrumento capaz de regular o funcionamento e democratizar o acesso à mídia no Brasil.
Em outro aspecto, a existência dos mais de 400 cursos de graduação em Comunicação Social-Habilitação em Jornalismo demanda mais investimento e atenção, por parte dos gestores, seja no que diz respeito a espaço, infraestrutura laboratorial ou quadro docente, demonstrando a compreensão estratégica que a formação jornalística pode propiciar à conquista de cidadania, a partir da oferta de uma informação plural e preocupada com as demandas sociais, e não mais meramente mercadológica.
Por fim, os participantes do 13º ENPJ cobram imediatas providências das autoridades responsáveis (judiciário, legislativo e executivo) frente às constantes ameaças que vem comprometendo o exercício do Jornalismo, com agressões verbais e físicas a profissionais da área, feitas por alguns poucos que se sentem tão à vontade para agir à revelia da legislação que ousam responsabilizar jornalistas quando estes divulgam o que não lhes agrada. Tais ameaças à democracia precisam ter um basta e isso é responsabilidade dos setores do poder público.
Recife, Pernambuco, 23 de abril de 2010

26 de abril de 2010

5

Eric, hoje, com cinco meses. Foto da Mamãe Lili.

23 de abril de 2010

O sono dos justos

Laura e Eric jogadões no chão da sala, dormiram vendo "A Noiva Cadáver". Laura ignorou várias de nossas indicações para ver: Happy Feet, Os incríveis, Ratatouille, Toy Story ou algum dos mais de 30 filmes que ela tem em casa. Preferiu um Tim Burton. Vamos ver alice então.

Gilmar (Dantas Habeas Corpus) Mendes

Um artigo do Miro sobre o Gilmar (Dantas Habeas Corpus) Mendes.

Programação do Congresso da UBM-SC

22 de abril de 2010

Congresso Estadual da UBM-SC

A UBM-SC União Brasileira de Mulheres Santa Catarina convida para Ato Politico e Debate de Abertura do III Congresso Estadual da entidade que acontece nesta sexta-feira 23 de abril de 2010 às 19 horas, na Fetaesc na Rua Leoberto Leal, 976, Barreiros, Sao Jose. Fone par acontato 48 3246-8011.

21 de abril de 2010

Grupo poético-musical Casa da Ginga

Casa da Ginga é um grupo musical formado por músicos da Grande Florianópolis e que se notabiliza por composições poético-musicais inéditas. O grupo tem se apresentado em espaços culturais no Estado de Santa Catarina, com o espetáculo "A Cada Manhã". Ouça.
O repertório deste show é composto por 12 canções de autoria e arranjos do próprio grupo. Além destas canções inéditas, o espetáculo também agrega releituras de canções consagradas da Música Popular Brasileira.
O grupo se apresenta na Casa da Cultura Municipal de São José (Rua Gaspar Neves, 3175 – Centro Histórico) nesta quinta-feira 22 de abril, às 20h. O espetáculo é gratuito. Informações: (48) 3247 9096 e (48) 3247 8503

Músicos: Jéferson Dantas - violão e voz; William Ribeiro - flauta, clarinete, saxofone; Janaína Canova - backing vocal, flauta, percussão; Angelita - backing vocal; Pablo Mizraji - bateria, percussão; Gilberto André Borges (Gilblack) - contrabaixo; Daniel Scopel - guitarra; Convidados: Minelli - saxofone; Suélen - trompete.

20 de abril de 2010

Já vai tarde

O Sindicato dos Jornalistas da Bahia tá fazendo um bota fora pro Gilmar Mendes, com direito a manifesto, praguinha e tudo mais. Coisa da minha grande amiga e camarada Kardé. GM deixa a presidência do STF na sexta-feira 23, depois de ter acabado com a exigência de nível superior para o exercícico do jornalismo. Clique na imagem para ampliar.

18 de abril de 2010

Riacho Doce

Almoço no Restaurante Riacho Doce em Águas Mornas. Rango caseiro, local agradável na beira do rio, bom atendimento, preço baixo. Se preferir pode levar a carne e o carvão e fazer o churraquinho você mesmo. A Laura curtiu um montão e a gente também. Não esqueça de levar o repelente.

Avai 9X8 Figueira

Nove a oito pro avai. Foi o placar de camisetas que vimos circulando por aí, ontem. Uma passadinha rápida no Giassi da Palhoça para o café da manha e na saída o placar estava seis a cinco pro Figueira. Fomos almoçar em Águas Mornas, no restaurante Riacho Doce. Minha concunhada avaina apareceu de camiseta do Avai, tive que fazer o contraponto e vestir o manto alvinegro. Mais um figueirese aqui, um avaiano acolá e ficou tudo empatado. Só que quando chegamos em casa o vizinho avaiano estava saindo de carro. Maldito mudou o placar. Mas em campo é outra história. E como se diz clássico é clássico. Foto da Lili.

15 de abril de 2010

Angela Albino volta à Assembleia Legislativa

“Fico muito feliz por estar de volta, ainda que como suplente. É a primeira vez que quatro mulheres estão integrando o Poder ao mesmo tempo. É um marco para nós. Uma demonstração da pouca representatividade feminina, mas uma esperança de que mais mulheres ocupem espaço na política a partir das eleições de 2010. E que o nosso Parlamento seja mais generoso na sua representação feminina.”
Com essa determinação Angela Albino (PCdoB) assumiu na manhã desta quinta-feira (15) como deputada estadual, no lugar do deputado Padre Pedro Baldissera (PT), seguindo o rodízio estabelecido entre seus partidos. No período de junho a agosto de 2009 ela teve a primeira experiência na Casa, no lugar da deputada Ana Paula Lima (PT). Desta vez ela deve permanecer na Assembleia Legislativa até o mês de agosto. Entre suas metas está reforçar a presença feminina no Parlamento catarinense.  Fonte Alesc

14 de abril de 2010

Vida longa

A luz dessas fotos tá demais. Mas o destaque são os personagens. Figuras de primeira grandeza. Proponho um brinde: Vida longa a todos, Adri, Gabi, Barretão, Tadeu e Kiria.

13 de abril de 2010

Seminário sobre filiação de não diplomados revela divergências de concepção da luta sindical

O Circulo da Palavra de abril discutiu um tema que tem sido polêmico no contexto da categoria dos jornalistas: sindicalizar ou não os não diplomados que agora estão obtendo o registro direto pelo Ministério do Trabalho.
Como se sabe, a decisão do Supremo Tribunal Federal acabou com a exigência do diploma para o exercício da profissão, e embora os jornalistas continuem lutando para retomar essa regra, não podem desconhecer toda a uma massa de trabalhadores que chega ao mercado de trabalho, atuando na função de jornalistas.
A última reunião do Conselho de Representantes da FENAJ decidiu por não filiar os não diplomados, ainda que esta não fosse uma decisão unânime. Vários sindicatos, incluindo aí o de Santa Catarina, levaram a posição de garantir a filiação, com o argumento de que o que deve prevalecer é a visão de classe.
“Os trabalhadores que entram na condição de não diplomados estão sujeitos às mesmas condições de exploração que qualquer outro colega diplomado. É dever do sindicato lutar contra isso. A formação, que também defendemos com vigor, deve ser adquirida, sem dúvida. E o sindicato pode ter um papel relevante neste processo”, diz Josemar Sehnem, vice-presidente do SJSC.
E foi para discutir com profundidade esse tema com a categoria que o Sindicato decidiu fazer o seminário sobre sindicalização. Convidou a representação da direção da Federação, Valci Zuculoto, a representação do grupo de oposição à FENAJ, o Luta Fenaj, com Caio Teixeira, e a presença do advogado do SJSC Prudente de Mello.
O debate buscou clarear as posições que hoje se confrontam no campo dos jornalistas. Como enfrentar a avalanche de não diplomados? Como atuar com empresas que contratam produtores de conteúdo, auxiliares e assistentes de conteúdo, que são, na verdade, outros nomes para a função de jornalista? Como amparar os trabalhadores que estão em condições de precariedade? Como são estas relações de trabalho com os não diplomados? Leia mais no site do SJSC. Texto Elaine Tavares

9 de abril de 2010

São tantas emoções...

... que nem sei por onde começar. Diante das postagens represadas vou resumir e depois esmiuçar. No domingo de páscoa teve batizado, do Eric e da Laura. No pacote fica mais barato. Vieram os primos de São Paulo, fomos para um restaurante no Ribeirão. Os de sampa curtiram, os daqui acharam longe, coisa e tal. Antes, no sábado fomos pra Lagoa com os paulistas e presenciamos uma moto invadindo um restaurante. Fotografamos a moto, e duas horas depois a polícia, quando chegou pra ocorrência. Um dos milicos, o mais novo, veio tirar "sastifação", me chamou de guri pequeno e recebeu devolta "_guri pequeno és tu". Formada a confusão, quase fomos ver o sol quadrado. Mas a turma do deixa disso foi mais eficiente.
Pula pra segunda-feira.
De manhã cedinho toca o telofone. "Houve um cancelamento e vocês precisam internar o Eric amanhã". O que era pra acontecer dia 28 de abril foi antecipado e na quarta-feira, dia 7 de abril, dia do jornalista o "tipi" diminuitivo de tipinho, apelido carinhoso do nosso pimpolho, passaria por um procedimento cirurgico delicado. Não que fosse novidade. Sabiamos disso desde o terceiro dia de vida dele. Mas a antecipação da operação nos pegou de surpresa. Como diria o gaucho: "me caiu os butiá do bolso". Mas não dá nada. A partir daí tudo mudou. Os compromissos foram adiados. Lá no trabalho já estão avisados. De novo vamos passar alguns dias no Hospital Infantil. Pois é, de novo. Com a Laura foi ainda mais grave. Se angustiar, dormir no hospital, chorar sozinho. Quarta-feira 8h10min, Eric vai para o centro cirurgico de onde sai 5 horas depois. Olhos inchados, enjoadinho pela anestesia, mas com o problema resolvido. 48 horas de recuperação e hoje ao meio dia, alta.
(Entra a trilha sonora: I have a dream)
Eric já está em casa com irmã grudenta e os pais babões. Foto da família pra dizer que eu acredito em anjos, afinal tenho dois em casa.

Eu acredito em anjos

Have A Dream          Eu Tenho Um Sonho
I have a dream           Eu tenho um sonho,
a song to sing           Uma canção para cantar
to help me cope            Que me ajuda a enfrentar
with anything           Qualquer coisa
if you see the wonder          Se você vê maravilhas
of a fairy tale           Em um conto de fadas
you can take the future           Você pode agarrar o futuro,
even if you fail          Mesmo se você falhar
I believe in angels           Eu acredito em anjos
something good in           Algo bom em
everything I see           Tudo que eu vejo
I believe in angels           Eu acredito em anjos
when I know the time           Quando souber que é a hora
is right for me           Certa para mim
I'll cross the street            Eu vou cruzar a corrente
I have a dream           Eu tenho um sonho
I have a dream           Eu tenho um sonho,
a fantasy           Uma fantasia,
to help me through            Que me ajuda atravessar a
reality           Realidade
and my destination           E o meu destino
makes it worth the while            Faz valer a pena,
pushing through the darkness            Enquanto me empurra através da escuridão
still another mile            Ainda mais uma milha
I believe in angels           Eu acredito em anjos
something good in          Algo bom em
everything I see          Tudo que eu vejo
I believe in angels          Eu acredito em anjos
when I know the time          Quando souber que é a hora
is right for me            Certa para mim
I'll cross the street           Eu vou cruzar a corrente
I have a dream            Eu tenho um sonho
ABBA

6 de abril de 2010

Fora Pavan

UJS, UCE, UBES e UNE querem "Fora Pavan". As entidades realizam manifestação conjunta na esquina democrátca nesta quarta-feira 7 de abril contra "a manobra feita para empossar Pavan no governo de SC". Veja o flyer que está circulando pela internet e distribuido de mão em mão. Clique na imagem para ampliar.

Atualizando com as fotos do ato no Blog da UJS.

Sete de abril - Dia do Jornalista

Rádio Ponto UFSC transmite programa especial comemorativo ao Dia do Jornalista. Nesta quarta-feira, 7 de abril, a Rádio Ponto UFSC, a emissora virtual do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina, transmite um programa especial alusivo ao Dia Nacional do Jornalista. "Profissão: Jornalista" será veiculado nos horários das 10h, 12h, 14h, 16h, 18h e 20h e também ficará disponível no site da emissora para dowload. O programa foi produzido pelos alunos das duas turmas de Radiojornalismo I. Conta a história da profissão no Brasil, traz entrevistas e matérias sobre o que significa ser jornalista e discute a realidade atual do exercício do jornalismo, além de informar a agenda das comemorações da data em Santa Catarina e no país. A produção é uma atividade dos alunos e professores da UFSC para a Semana Nacional em Defesa da Profissão de Jornalista e pela volta da obrigatoriedade do diploma para o exercício profissional, convocada pela FENAJ. Fonte: Curso de Jornalismo da UFSC.