28 de fevereiro de 2011

Sindicato dos Jornalistas aguarda lei que regula acesso de jornalista no serviço público estadual

O presidente do Sindicato dos Jornalistas, Rubens Lunge, está confiante de que o acesso dos jornalistas ao serviço público terá regulamentação em breve. "Aguardamos o envio de um texto do Executivo Estadual para a Assembléia Legislativa, ou a apreciação, pelos deputados estaduais, do veto do governador ao Projeto de Lei 63/2010".

Desde o início de 2011, o Sindicato trabalha no sentido de ver aprovada uma lei que estabeleça parâmetros para o acesso de jornalistas ao serviço público estadual, o que "deve ser um reconhecimento aos 16 cursos de jornalismo existentes em Santa Catarina, e a todos os acadêmicos, aos formados e professores", frisou Lunge.

O governador Raimundo Colombo defendeu, na campanha eleitoral e depois de empossado, que uma das qualidades do Estado é prestar serviços de excelência aos cidadãos. A formação superior para os jornalistas, portanto, vai ao encontro do discurso do governo. O Sindicato aponta que a Universidade, nos dias atuais, é essencial para o conhecimento que capacita pessoas para as atividades profissionais, e deste contexto não estão excluídos os jornalistas.

Nesta segunda-feira, 28, o Sindicato realizou contatos com mais 17 assessores de imprensa de deputados estaduais, agradecendo o empenho que tiveram até aqui em defesa da formação superior em jornalismo e convocando-os para que permaneçam atentos e em diálogo com seus assessorados no sentido de manter o espírito do PL 63, apresentado pelo deputado e jornalista Kennedy Nunes no ano passado. Aprovado por unanimidade na Assembléia, o projeto exige a formação superior em jornalismo para os cargos de jornalista.

Com os contatos da última sexta-feira, 24 jornalistas receberam informações do Sindicato sobre o PL 63 e a sua retirada da lista de votação de veto, ocorrida quinta passada pelo líder do governo, Elizeu Mattos. Dos 40 deputados estaduais de Santa Catarina, oito não tem ou não tinham assessoria de jornalista até a semana passada. Nesta terça-feira, Lunge continua em atividade na Assembléia Legislativa, seguindo depois para trabalhos junto a assessores de imprensa de vereadores de Florianópolis. Semana passada, o Sindicato reuniu os jornalistas da TV Câmara.

Fonte: SJSC

Carnaval em defesa da Lei Maria da Penha

Transcrevo mensagem do Boco de Carnaval "Nós Podemos - em defesa de Lei Maria da Penha" que vai desfilar pela Praça XV na terça-feira de carnaval, 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

Tem Carnaval na Praça, em defesa da Lei Maria da Penha.
Mexeu com a Lei, Mexeu Comigo!

Este ano em que o 08 de março - Dia Internacional da Mulher - coincide com o Carnaval, o Movimento de Mulheres Trabalhadoras Urbanas de Santa Catarina (MMTU/SC), em parceria com: Bloco de Carnaval “Baiacu de Alguem”, Músicos, Compositores e Compositoras da Região, Rede de Educadores e Educadoras Popular, Sindicatos, Federações, Centrais Sindicais, Movimentos Sociais, Lideranças Comunitárias, Associações de Bairros e Mandatos Populares (Municipais, Estaduais e Federais); convidam você, sua família, amigos e amigas, a “colocar o bloco na rua “ em defesa da Lei Maria da Penha, com alegria e criatividade, através do “Bloco Nós Podemos!”.

Esta Lei é uma conquista de toda a sociedade, para erradicar a violência doméstica e/ou familiar contra as mulheres e, hoje, está ameaçada em sua aplicação. Não podemos permitir nenhum tipo de retrocesso ou omissão por parte do Governo, do poder Judiciário, do Legislativo e do conjunto da sociedade.

Venha brincar a terça-feira de carnaval – 08 de Março, a partir das 15 hs, na Praça XV de Novembro, em Florianópolis, e aproveite para registrar seu apoio a Lei Maria da Penha, através de um abaixo-assinado.

Pedimos apenas que venham com camiseta de cor branca ou lilás, tragam alegria e apoio a este Movimento. Nos dias 28 de fevereiro e 01de março, estaremos em Oficina para confecção de alegorias.

(Informações no fone: 84381527 / 84231466, ou no blog http://mmtusc.blogspot.com/ ) Saudações com Alegria! Schirlei Azevedo p/coordenação do MMTU/SC.

25 de fevereiro de 2011

Banda do P.Q.P. confirmada

Jajá de Souza e Banda são os responsáveis pela animação na concentação do Bloco Pauta Que Pariu no dia 5 de março na Kibelândia.

Reajuste do Piso Estadual de Salários deve ser votado no dia 1º de março na Alesc

O PLC 005/2011 que reajusta o Piso Estadual de Salários deverá entrar na pauta de votação dos deputados estaduais na sessão da próxima terça-feira (1º) a tarde. A matéria já tramitou pelas Comissões de Constituição e Justiça e de Finanças e Tributação, faltando agora o parecer dos deputados membros da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público.

Segundo o presidente da última Comissão a tramitar o PLC, deputado Elizeu Mattos, a ideia é que o projeto seja analisado e enviado a Plenário no mesmo dia. "Queremos aprovar o reajuste antes do Carnaval, já que se trata de um projeto pacífico, fruto de acordo entre empresários e trabalhadores”, observou Elizeu.

Para o coordenador sindical do DIEESE Ivo Castanheira, “o reajuste concretiza a luta pela implantação, cumprimento e reconhecimento do Piso iniciado em 2006”. Confira abaixo a tabela com os novos valores que deverão beneficiar direta e indiretamente mais de 1 milhão de catarinenses.

O PLC é fruto de um acordo entre entidades sindicais de trabalhadores e de empresários que, em janeiro, abonaram um documento prevendo que os pisos passarão de R$ 587,00 para R$630,00, de R$ 616,00 para R$660,00, de R$647,00 para 695,00 e de R$679,00 para R$ 730,00.

Ao enviar para a Alesc o governador Raimundo Colombo respeitou todos os termos do acordo entregue a ele pelas entidades incluindo, inclusive, o efeito retroativo da Lei a partir de 1º de janeiro de 2011.

Fonte: Fecesc

24 de fevereiro de 2011

Sindicato dos Jornalistas promove encontros na TV Câmara e Alesc

O presidente do Sindicato dos Jornalistas promoveu encontro com trabalhadores da TV Câmara de Florianópolis e manteve contatos com assessorias de deputados e de bancada na Assembléia Legislativa na tarde desta quinta-feira, 24.

"A presença do Sindicato nos locais de trabalho, para passar informes e ouvir os colegas, é muito importante para orientar as ações da entidade", disse Rubens Lunge.

O SJSC realizou reunião com os trabalhadores da TV Câmara de Florianópolis no início da tarde desta quinta-feira. O presidente do SJSC apresentou um breve balanço das últimas ações, com especial atenção para os desdobramentos do debate em torno do Projeto de Lei 63/2010, na Assembléia Legislativa.

"Assim que for confirmada a aprovação de um texto que regule o ingresso de jornalistas no nível estadual, vamos ampliar o debate para prefeituras e câmaras de vereadores do Estado", afirmou Lunge.

Além de receber informações sindicais no local de trabalho, os colegas da TV Câmara também tiveram a oportunidade de falar sobre as suas preocupações e encaminhar demandas ao SJSC.

Depois da conversa na Câmara de Vereadores, Lunge foi para a Assembléia Legislativa, onde visitou os jornalistas dos gabinetes dos deputados Ângela Albino, líder do PCdoB, Manoel Motta, líder do PMDB, assessoria da bancada do PMDB, Padre Pedro, Ana Paula Lima, Ada de Luca e Ismael dos Santos.

O Sindicato foi agradecer o empenho dos colegas assessores no esclarecimento dos seus deputados na regulamentação do acesso a cargos públicos para jornalistas, reafirmar que confia no Parlamento e no Governo quanto ao compromisso de regular a questão dos jornalistas comissionados e concursados, e ouvir demandas de cada assessoria.

Nesta sexta-feira, 25, as atividades do Sindicato na Alesc continuam, e duram até que todos os gabinetes tenham sindo visitados.

Após encerrar esta etapa na Assembléia Legislativa, ainda antes do carnaval, o Sindicato passará nos gabinetes dos vereadores de Florianópolis. "A categoria precisa falar de uma lei que estabeleça critérios para o acesso às funções de jornalista em todos os níveis e poderes", apontou Lunge.

Conforme ele, as assessorias do Poder Judiciário, por exemplo, que hoje é uma das mais importantes fontes de informação para a sociedade, também precisa reconhecer o acesso, o lugar e a valorização dos jornalistas.

Esquenta do P.Q.P.

Foto: Petra Mafalda - P.Q.P. 2009
Eu e a Laura viemos aqui só para lembrar que hoje tem o segundo esquenta do Pauta Que Pariu na Kibelândia às 19h.

Camisetas custam R$ 40,00.

O bloco desfila no sábado 5 de março às 17h.

Mas a festa começa bem antes, ao meio dia com um delicioso carreteiro na Kibelândia.

O "Abadá" da direito ainda a 8 unidades de bebida, cerveja, refreigerante e água.  

SJSC continua luta em defesa da formação para o acesso de jornalistas ao serviço público estadual

Um acordo entre os partidos na tarde dessa quarta-feira, 23, fez com que a Assembléia Legislativa de Santa Catarina levasse para a semana que vem a apreciação ao veto do governador Raimundo Colombo ao PL 63/2010.

O PL, apresentado pelo deputado Kennedy Nunes e aprovado por unanimidade na Assembléia no ano passado, exige formação superior em jornalismo para as atividades da categoria na administração pública estadual direta e indireta.

O presidente do Sindicato dos Jornalistas disse que a retirada da pauta significa que o Executivo estadual enviará um texto para a Assembléia, estabelecendo requisitos para o acesso a cargos da profissão no Governo.

"A categoria terá um avanço importante após todo esse debate", apontou Lunge. O dirigente sindical acompanha, desde janeiro, os desdobramentos do PL 063.

A regulamentação defendida pela jornalistas recebeu apoio das bancadas de deputados da oposição e do governo."Por isso, entendemos que se há uma difiuldade política em derrubar o veto neste momento, o governador já declarou seu compromisso em buscar uma saída, que deve ocorrer até a semana que vem", declarou Lunge.

O presidente do SJSC destacou a liderança e o comprometimento de Kennedy Nunes para que a formação dos jornalistas seja reconhecida pelo Estado.

23 de fevereiro de 2011

Video Pauta Que Pariu 2006

Video da concentação e desfile do Bloco Pauta Que Pariu em 2006. Foi o ano em que o bloco ressurgiu depois de 10 anos do primeiro desfile em 1996. As imagens postadas por gilroberto no youtube mostram a chegada da Corte do Momo na concentração que foi na sede do Besc na subida do Moro da Cruz. Foi o ano em que a Kombi quebrou e teve que ser empurrada.

Chega de Tarifa!

Reproduzo nota da Frente de Luta pelo Transporte Público de Florianópolis falando sobre as mobilizações diante da possibilidade de um novo aumento nas tarífas do transporte coletivo em Florianópolis.

Chega de Tarifa!

A Frente de Luta pelo Transporte Público de Florianópolis, organização que reúne diversos movimentos, entidades e pessoas dispostas a lutar por um transporte verdadeiramente público, acessível e voltado aos interesses da população, após o anúncio da possibilidade de um novo aumento nas tarifas do transporte coletivo da cidade, voltou a organizar-se, e vem a público chamar o povo de Florianópolis a participar deste novo período da nossa luta, que se insere num contexto nacional de mobilizações em torno do transporte público.

Após duas grandes reuniões, temos em mente um intenso calendário de mobilização, com discussões e debates sobre o transporte, confecção e distribuição de materiais, intervenções artísticas, mostras de vídeo, e diversas outras atividades pela cidade. Estamos programando também a realização de um amplo Seminário de Formação e Discussão de um Projeto Popular para a Mobilidade Urbana de Florianópolis, e de um grande Plebiscito do Transporte, para dizermos ao Poder Público da cidade: Chega de Tarifa!

Chamamos todos e todas a contribuírem na construção destas atividades, lembrando que o sucesso da nossa luta depende da participação de todos. Para acompanhar nosso calendário e saber das próximas atividades e reuniões, visite: http://lataofloripa.libertar.org/.

Nos últimos anos, além dos aumentos abusivos no valor da tarifa, acompanhamos uma queda expressiva na qualidade do transporte coletivo, com redução de linhas e horários (em especial nos finais de semana) e aumento da lotação dos ônibus. Avisamos desde já que não aceitaremos nenhum aumento na tarifa. Qualquer tentativa da Prefeitura e do Setuf neste sentido será respondida com força nas ruas, com grandes manifestações e a ocupação do espaço público da cidade. A crise e o desgaste do atual modelo de concessão (privatização) do transporte coletivo, mais uma vez aponta seus limites, e uma grande revolta popular parece se esboçar novamente no horizonte da cidade.

Chega de Tarifa!
Por uma vida sem catracas!
Frente de Luta pelo Transporte Público

Florianópolis, Fevereiro de 2011.

Votação do reajuste do piso na Comissão de Finanças fica para quinta-feira, 24

Um pedido de vistas em gabinete do Deputado Silvio Dreveck (PP) frustrou a expectativa dos sindicalistas que acompanhavam hoje pela manhã a tramitação do PLC 005/2011 pela Comissão de Finanças e Tributação da Alesc. A matéria, que prevê um reajuste de mais de 7% nas quatro categorias do Piso Estadual de Salários, teve o parecer favorável do relator deputado Neodi Sareta (PT).

Também se manifestaram pela aprovação a deputada Luciane Carminatti (PT) e os deputados Darci de Mattos (DEM), Sargento Soares (PDT) e Elizeu Mattos (PMDB), que substituía o deputado Manoel Motta na reunião.

Com o pedido de vistas de Dreveck, concedido pelo presidente da Comissão deputado Gilmar Knaesel, os demais membros deverão se manifestar apenas na reunião extraordinária marcada para amanhã às 9h. No novo encontro, que terá como pauta única a votação do PLC 005/2011, devem se manifestar ainda os deputados Marcos Vieira, o presidente da Comissão e o próprio Dreveck. O deputado pepista justificou seu pedido alegando que teve pouco tempo para analisar o projeto.

Para o presidente da Federação dos Trabalhadores no Comércio de Santa Catarina Francisco Alano, o argumento do deputado para o pedido de vistas é injustificável. “Não há nenhuma alteração na lei que explique este pedido, já que ela apenas reajusta os valores”, lembrou.

O pedido de vistas não deverá provocar nenhum prejuízo ao prazo previsto para o envio de votação em Plenário, marcado para a tarde de terça-feira (1º), após tramitar na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público no mesmo dia.

Fonte: Fecesc - Juliana Claudio (Mtb:02789/SC)

CCJ da Alesc admite indicação de veto ao PL 63/2010

Reunida na manhã desta terça-feira, 22, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc) votou pela admissibilidade da Mensagem de Veto (MV) nº23, referente ao PL 63/2010. Ou seja, a maioria dos deputados votou favorável ao veto do governador Raimundo Colombo ao Projeto de Lei que exige a formação superior específica como requisito para a contratação de jornalistas no âmbito da administração pública estadual direta e indireta.

Também foram analisadas outras 31 indicações de veto a outros projetos que foram enviadas pelo Executivo. Todas, assim como Mensagem do PL 63, foram encaminhadas à votação secreta em Plenário nos próximos dias. A MV nº23 tem prazo até dia 5 de março para ser apreciada no Parlamento.

Presente à reunião da CCJ, o deputado Amauri Soares (PDT), se pronunciou contra o veto, pois acredita que a formação superior dá a qualificação e seriedade necessárias ao jornalismo. “Precisamos de trabalhadores qualificados no serviço público,” diz o parlamentar.

Com adesivo da Campanha em Defesa da Profissão de Jornalista colado na roupa, a deputada Ana Paula Lima (PT) fez questão de reiterar, na sessão realizada à tarde, seu apoio ao projeto e à luta dos jornalistas.

Executivo deve enviar projeto que exige formacão superior em jornalismo

Em conversa com Rubens Lunge, presidente do Sindicato dos Jornalistas - que passou o dia no Parlamento angariando adesões à reivindicação da categoria - o líder da bancada governista, Elizeu Mattos (PMDB), disse que não é pretensão da sua bancada levar a Mensagem de Veto do PL 63 à votação nesta semana. De acordo com o líder governista, é provável que o Executivo envie à Alesc, nos próximos dias, um Projeto Lei que contemple a reivindicação dos jornalistas.

Enquanto aguarda a votação, o Sindicato dos Jornalistas continuará as conversas com os deputados, bancadas e assessorias sobre a importância da qualificação do profissional para o exercício de um bom jornalismo. É importante ressaltar que o PL 63/2010 diz respeito à exigência do diploma exclusivamente na contratação de jornalistas no serviço público estadual.

Autor: Silvia Agostini Pereira (MTb/SC 3890-JP) SJSC

22 de fevereiro de 2011

blocopautaquepariu.blogspot.com

Veja no blog do "Pauta Que Pariu" as fotos de outros carnavais como esta em um esquenta em 2009 realizado em Coqueiros.

O Bloco de Carnaval dos Jornalistas Catarinenses, o "Pauta Que Pariu" vai desfilar na Praça XV no sábado de carnaval, 5, ás 17h. Antes disso a concentração na Kibelândia começa ao meio dia e vai reunir os foliões para muita diversão. O "ABADÁ" está sendo vendido por R$ 40 dá direito a um delicioso carreteiro e oito unidades de cerveja, refrigerante e água.

Segundo Esquenta na Kibe

Depois do primeiro tem o segundo, portanto nesta quinta-feira, 24, tem mais um esquenta e venda de camisetas na Kibelândia. Aproveite para reservar a sua e garantir a diversão no carnaval. Ainda esta semana e na próxima a organização estará definindo esquemas de venda das camisetas nos locais de trabalho.

Mas não fique esperando. Junte os coleguinhas e compre as camisetas com os organizadores Fabiola (48-9616-1997); Juraci (48-9961-8119); Gitane (48-9971-8082); e Josemar (48-9980-4363) ou na Sede do Sindicato (48- 3228-2500).

Reiniciadas conversas com os deputados pela derrubada do veto ao PL 63

Nesta terça-feira, 22, o Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina retoma as conversas na Assembléia Legislativa, na busca de solidificar o apoio dos parlamentares quanto à necessidade da formação superior em jornalismo para o exercício da profissão no serviço público estadual.

Uma das conversas previstas será entre o presidente do SJSC, Rubens Lunge, e o deputado Romildo Titon (PMDB). Titon, atual presidente da Comissão Permanente de Constituição e Justiça (CCJ) da Alesc, também fará a relatoria do PL 63/2010 e da respectiva Mensagem de Veto na Comissão.

Diferente do que foi divulgado anteriormente, a documentação será analisada somente pela CCJ e não pelas Comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público e de Educação, Cultura e Desporto.

Rubens Lunge também deve se encontrar com o autor do PL 63, o deputado e jornalista Kennedy Nunes (PP). O objetivo do encontro é verificar se o texto da mini reforma administrativa, a ser enviado pelo Executivo ao Parlamento nos próximos dias, contempla em um dos itens, a reivindicação da categoria.

Ao mesmo tempo em que retoma os trabalhos na Alesc, o SJSC chama toda a categoria e os futuros profissionais a reforçarem seu apoio à defesa da profissão de jornalista em Santa Catarina.

19 de fevereiro de 2011

Relatório do PL que reajusta o Piso Estadual de Salários será apreciado na CCJ dia 22

O relatório do projeto de lei que reajusta os valores do Piso Salarial Estadual será lido e apreciado na Comissão de Constituição e Justiça da Assembléia Ligislativa de Santa Catarina na terça-feira, 22 de fevereiro.

Os dirigentes sindicais estão sendo convidados a participar da reunião demonstrando com isso a unidade do movimento sindical dos trabalhadores. O objetivo é garantir a aprovação dos pisos nos valores já negociados com os representantes das entidades patronais e do governo do Estado.

"Dona Justa" tarda mas não falha


A ilustração da camiseta é do Jornalista Zédassilva
 O desfile do "Dona Justa", tradicional bloco carnavalesco dos Servidores do Judiciário está confirmado para o dia 4 de março, sexta-feira de carnaval. A alegria e a descontração dos trabalhadores do judiciário tomará as ruas de Florianópolis. Uma marchinha está sendo composta, a banda já está afinada e o carreteiro sendo providenciado.

O kit de carnaval, que inclui camiseta, 4 bebidas e o carreteiro já está a venda e custa R$30,00. Quem preferir pode adquirir apenas a camiseta por R$15,00. Esses preços valem até o dia 25 de fevereiro. Na segunda, 28 o kit custará R$ 40,OO e a camiseta R$ 20,00.

Fotos do primeiro esquenta do Pauta Que Pariu 2011

Algumas fotos do primeiro esquenta do Bloco de Carnaval dos Jornalistas Pauta Que Pariu 2011 na Kibelândia dia 17 de fevereiro. O esquenta rendeu.



18 de fevereiro de 2011

Pauta Que Pariu 2011: O esquenta rendeu


O esquenta do Bloco de Carnaval dos Jornalistas "Pauta Que Pariu" na última quinta-feira rendeu. Quem foi... foi, quem não foi se arrependeu-se. As camisetas do primeiro lote foram todas distribuidas e estão a venda até segunda-feira. Restam poucas unidades a R$ 35,00. Aproveite o preço pois o segundo lote já tá no forno e estará disponível a partir de terça-feira, 22, ao preço único de R$ 40,00. Corra e adquira seu "abadá" na Kibelandia ou na sede do Sindicato dos Jornalistas, ou ainda com os organizadores Fabiola, Juraci, Gitane e comigo que no caso sou eu.

Tira a mão do meu canudo
A defesa da profissão de jornalista é o tema escolhido para o Carnaval deste ano. Na cor rosa–pink, a camiseta tem a frase “Tira a mão do meu canudo” estampada na frente. Conforme a comissão organizadora, “é para mostrar que nem no Carnaval os jornalistas catarinenses se esquecem da luta pela importância da formação superior para a profissão”.

Programação
A festa de Carnaval está marcada para sábado, 5 de março, a partir do meio-dia, na Kibelândia. O local escolhido para a festa, por ser central, beneficia a locomoção dos carnavalescos para o desfile em volta da Praça XV de Novembro, no centro da capital. A camiseta garante ao folião o ingresso ao local do evento, saborear um delicioso carreteiro e oito unidades de bebidas (água ou cerveja ou refrigerante). Só participará da festa quem estiver uniformizado com a camiseta do bloco.
Informações: Fabíola (48-9616-1997); Josemar (48-9980-4363), Gitane (48-9971-8082); Juraci 9961-8119; Silvia (47-9604-3101) ou na Sede do Sindicato pelo telefone 48- 3228-2500

16 de fevereiro de 2011

Fim do Golpe: Vereador Ricardo Vieira Absolvido na CMF

As galerias da CMF foram tomadas por apoiadores
Terminou com mais uma derrota para o prefeito Dário Berger (PMDB) e os vereadores que compõem sua base na câmara da capital, a sessão realizada na noite do dia 15. Após um processo marcado pelo atropelo e por inúmeras situações absurdas - presença irregular de um dos integrantes da comissão de ética, aprovação de parecer antes de terminar o prazo para defesa do vereador Ricardo Vieira (PCdoB), testemunhas de acusação que eram partes diretamente interessadas, vazamento para a imprensa do parecer antes da reunião, para citar alguns - os projetos de resolução do conselho de ética da câmara foram rejeitados por 9 votos a 6.

O parecer, construído às pressas pelos vereadores que fazem parte da base governista no Conselho: Renato Geske (PR), Edinon Manoel da Rosa (PSB) e Celso Francisco Sandrini (PMDB), foi derrubado em plenário. A manobra política, planejada pelos vereadores governistas, que no Conselho de Ética derrubou o parecer do relator Erádio Gonçalves (DEM) pedindo o arquivamento do processo, não passou de um golpe para desviar o real interesse do grupo: as eleições de 2012.

A defesa do parlamentar, conduzida pelo advogado Matheus Felipe de Castro, pautou-se na falta de provas materiais no processo aberto pelo Conselho de Ética. Para Castro, os argumentos não passavam de um apanhado de mentiras e calúnias produzido por um grupo político ligado ao prefeito. Para ele, foi montada uma farsa para ganhar no ‘tapetão’ o que perderam no voto. “E, o próprio vereador que se gaba da experiência conferida pelos seus cinco mandados, foi pego “de surpresa” por câmeras desconhecidas dizendo terem tentado lhe vender votos e estava armado o teatro”, ressaltou o advogado descrevendo a filmagem acusatória.

A falta legitimidade das testemunhas arroladas no processo foi um dos pontos mais explorados na defesa dos vereadores Dr. Ricardo e Asael Pereira (PSB). “Criaram testemunhas falsas, estas testemunhas tidas como juridicamente suspeitas foram o embasamento de todo este golpe”, afirmou Castro. “Interessados nos litígios não devem ser recebidos como testemunhas, mas apenas ouvidos, lembrou Celso Bedin Jr. Advogado de Pereira.

A deputada Angela Albino acompanhou a sessão
As galerias do legislativo municipal foram tomadas por uma multidão de moradores, principalmente da região do Saco Grande, dirigentes sindicais, do movimento comunitário, movimento estudantil, movimento passe livre, militantes de outros partidos, como o PSOL, PDT e o PSTU, que compareceram para manifestar seu apoio ao vereador Ricardo Vieira, numa clara demonstração da abrangência que o mandato popular adquiriu nestes últimos dois anos. A deputada estadual Angela Albino e o ex-vereador João Ghizoni (ambos do PCdoB) também estiveram presentes manifestando solidariedade e apoio.

Além de manifestantes em apoio ao vereador Ricardo, também estavam presentes membros e pastores da Igreja Assembleia de Deus, base social do vereador Asael Pereira.

Entendendo o caso

No dia 14 de dezembro foi realizada a eleição para a mesa diretora da câmara. Disputaram a presidência os vereadores João da Bega (PMDB) e Jaime Tonello (DEM).

O resultado foi inesperado para o prefeito Dário Berger (PMDB). João da Bega foi derrotado por 9 votos a 7. No dia seguinte, no Jornal do Almoço, da RBS, foi iniciada a operação para tentar desmoralizar a câmara municipal. Foi feito um grande alarde de que houve compra de votos.

A seguir, houve uma série de informações desencontradas. Ora o prefeito dizia ter recebido um pedido de dinheiro por parte do vereador Ricardo, depois dizia que não ouviu nada, mas um amigo teria ouvido. E aos poucos foram montando uma farsa repleta de furos.

Foram dois meses de intensa pressão midiática, principalmente por parte do grupo RBS/Rede Globo, que desde a primeira hora tomaram partido, dando amplo espaço às acusações infundadas feitas pelo vereador João da Bega (PMDB), candidato derrotado à presidência da câmara.

O que estava em jogo

Dário Berger está prestes a ser julgado pelo STF (caso de prefeito itinerante) e provavelmente será cassado. Neste caso, quem assume interinamente o executivo municipal é o presidente da câmara.

Fica fácil entender: Dário queria um aliado no comando, para ter influência no processo sucessório. Como não conseguiu, fez um esforço para mudar a correlação de forças na câmara, cassando dois vereadores da nova oposição.

Fonte: Assessoria do Vereador Ricardo Vieira
Fotos: Josemar Sehnem

PL 63/2010: Sindicato conclui primeira etapa de visitas à Alesc

O Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina (SJSC) concluiu na terça-feira, 15, a primeira etapa dos trabalhos na Assembléia Legislativa em busca de apoio para derrubar o veto do PL 63/2010.

O projeto exige o diploma de jornalista para os profissionais contratados para a função no serviço público estadual. Aprovado por unanimidade em dezembro pelos deputados, ele (o PL) foi vetado pelo governador em janeiro.

Após duas semanas de conversas com os deputados, bancadas e assessorias no Parlamento, o Sindicato aguarda, agora, a escolha do relator responsável pela análise do veto na Comissão Parlamentar de Constituição e Justiça (CCJ).

Logo que for escolhido o relator, Rubens Lunge, presidente do SJSC volta à Alesc, para reforçar o pedido. Nesta- terça, Rubens voltou a conversar com Kennedy Nunes (PP), autor do projeto, com Darci de Mattos, líder da bancada do Democratas e com Dado Cherem, líder da bancada do PSDB.

“Queremos que os deputados reafirmem seus votos a favor do reconhecimento da profissão de jornalista no serviço público estadual, como fizeram quando votaram por unanimidade na aprovação do PL 63, em dezembro. Estamos convictos de que a CCJ vai concluir que não há inconstitucionalidade alguma no projeto“, afirmou o presdente do SJSC.

No mesmo dia, 15, a documentação para análise foi encaminhada ao gabinete do deputado Romildo Titon, eleito presidente da CCJ.

O Sindicato solicita a todos os cidadãos que prezam por um jornalismo de qualidade, enviem e-mails aos parlamentares para reforçar a importância do cumprimento dessa reivindicação. Clicando aqui veja uma sugestão de texto a ser enviado aos deputados e aqui os endereços dos parlamentares

Pauta Que Pariu: Camisetas à venda no primeiro esquenta na Kibelândia


Nesta quinta-feira, 17, os foliões terão uma boa oportunidade para adquirir a camiseta do "Pauta Que Pariu". O primeiro esquenta do bloco de carnaval dos jornalista vai acontecer a partir das 19h na Kibelândia e serve como preparativo para o desfile no dia 5 de março, sábado de carnaval.

Este ano a defesa da profissão de jornalista fará parte do desfile de carnaval. A camiseta tem a frase “Tira a mão do meu canudo” estampada na frente. Conforme a comissão organizadora, “é para mostrar que nem no carnaval os jornalistas catarinenses se esquecem da luta pela importância da formação superior para a profissão”.

Como já se tornou tradição a ilustração da camiseta foi feita pelo ilustrador Alexandre Beck. Os "abadás" na cor rosa pink já estão a venda custando R$ 35,00. Filiados em dia com o sindicato terão desconto de R$ 5,00 e neste caso as camisetas deverão ser adquiridas somente na sede da entidade

O primeiro desfile do bloco aconteceu em 1996, e após um longo jejum de 10 anos voltou às ruas em 2006 e de lá pra cá não parou mais. O encontro de hoje será às 19h na Kibelândia que fica na Rua Victor Meirelles, 98, centro de Florianópolis.

Mais informações com Fabíola (48-9616-1997); Josemar (48-9980-4363), Gitane (48-9971-8082); Silvia (47-9604-3101), no Sindicato (48- 3228-2500).

14 de fevereiro de 2011

Golpe não! Em defesa da democracia na CMF

Transcrevo Nota do vereador Ricardo do PC do B sobre o golpe em execução na Câmara Municipal de Florianópolis na tentativa de eliminar a opisição ao Prefeito intinerante e em vias de cassação Dário Berguer.

Nesta segunda-feira, a partir das 17h em frente a Câmara Municipal aconteceu um protesto em defesa do mandato popular do Vereador Dr. Ricardo Vieira.

Golpe não! Pela continuidade da oposição

Nesta segunda-feira (dia 14), às 19h, será votado o Projeto de Resolução que pede a cassação do mandato do vereador Dr. Ricardo Vieira (PCdoB). O pedido de punição do parlamentar se deve ao processo ético-disciplinar instaurado na Câmara após acusações levianas levantadas pelo vereador da base governista, João da Bega (PMDB).

Na última sexta-feira, dia 11, ficou clara a tentativa de manipulação desse processo numa manobra política orquestrada pelos vereadores que obedecem ao prefeito Dário Berger (PMDB): Renato Geske (PR), Edinon Manoel da Rosa (Dinho PSB) e Celso Francisco Sandrini (PMDB). Estes parlamentares instituíram um Tribunal de Exceção, não dando ao vereador Ricardo Vieira (PCdoB) o direito à ampla defesa, assegurado pela Constituição, já que este tinha prazo de até segunda-feira para apresentação desta.

Mesmo com o parecer do relator favorável ao arquivamento do processo por falta de provas, a maioria pró-Dário forçou a aprovação de outro parecer por 3 votos a 2.

Diante desse golpe, chamamos toda a militância do PCdoB, movimentos sociais e amigos do mandato para protestar contra essa manobra política, dando uma resposta firme e contundente contra essa arbitrariedade que envergonha o Legislativo Municipal. Em defesa do mandato popular, convidamos todos e todas para comparecerem na Câmara Municipal nesta segunda, às 19h. Aqueles e aquelas que puderem estar mais cedo, venham, pois haverá um ato político e manifestações desde as 17h.

13 de fevereiro de 2011

Proejteto de lei que reajusta o Piso Estadual de Salários


Abaixo a íntegra do Projeto de Lei Complementar que reajusta o Piso Estadual de Salários enviado pelo governador Raimundo Colombo à Assembléia Legislativa do Estado e remetido à Comissão de Constituição e Justiça da casa no dia 10 de fevereiro. Conforme a negociação feita entre as Centrais Sindicais e os representantes patronais, os novos valores retroagem a 1º de janeiro 2011 de acordo com o Art. 2º da lei.

O PLC é fruto de um acordo entre entidades sindicais de trabalhadores e de empresários que, em janeiro, abonaram um documento prevendo que os pisos passarão de R$ 587,00 para R$630,00, de R$ 616,00 para R$660,00, de R$647,00 para 695,00 e de R$679,00 para R$ 730,00.

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº

Altera o art. 1º da Lei Complementar nº 459, de 2009, que institui no âmbito do Estado de Santa Catarina pisos salariais para os trabalhadores que especifica.
O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, Faço saber a todos os habitantes deste Estado que a Assembleia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar:
Art. 1º O art. 1º da Lei Complementar nº 459, de 30 de setembro de 2009, passa a vigorar com a seguinte redação:
“Art. 1º
I - R$ 630,00 (seiscentos e trinta reais) para os trabalhadores: ... 
II - R$ 660,00 (seiscentos e sessenta reais) para os trabalhadores...
III - R$ 695,00 (seiscentos e noventa e cinco reais) para os trabalhadores...
IV - R$ 730,00 (setecentos e trinta reais) para os trabalhadores...”
Art. 2º Esta Lei Complementar entrará em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos retroativos a partir de 1º de janeiro de 2011.
Florianópolis,
JOÃO RAIMUNDO COLOMBO
Governador do Estado

12 de fevereiro de 2011

Menino Maluquinho

A volta do Menino Maluquinho, fazendo reconhecimento no canil da Loba


Jornal e Website com notícias de Santo Antônio de Lisboa e arredores serão lançados hoje

Dois veículos de comunicação do distrito de Santo Antônio de Lisboa serão lançados neste sábado (12.2) no Engenho e Casarão dos Andrade, com a presença da banda Gente da Terra, os músicos australianos Carl Cleves e Parrisa Bouas, e o artista Valdir Agostinho, além de projeção de fotografias e exposição de artes. Tudo isso será regado com caldo de feijão, cachaça artesanal de Ratones, sucos e pirão d’água com lingüiça, incluídos no custo do convite (R$ 20,00).

O DAQUI Jornal começa com oito páginas em cores, tiragem de três mil exemplares e circulação no distrito de Santo Antônio de Lisboa (Sambaqui, Barra do Sambaqui, Santo Antônio, Barreira, Caminho dos Açores/Praia Comprida, Cacupé), chegando ao Saco Grande, Ratones, Daniela e Praia do Forte. O segundo veículo é o site DAQUI Web, noticioso, com atualização diária, apresentando uma extensa lista de serviços e links dos blogs e sites da região.

O projeto é de responsabilidade da empresa DAQUI Edições, criada para viabilizar a iniciativa pelo jornalista e historiador Celso Martins (coordenação editorial) e a cantora e acadêmica de jornalismo Joana Cabral (coordenação comercial). A artista visual Helena Rodrigues atua por enquanto como contato comercial, com o apoio direto de entidades comunitárias e lideranças locais.

Confira a Programação
20h – Gente da Terra.
21h – Ato de lançamento.
21h30 – Carl Cleves e Parrisa Bouas.
22h – Banda de músicos uruguaios.
22h30 – Valdir Agostinho

Local - Engenho e Casarão dos Andrade. Caminho dos Açores/Praia Comprida, 1180 (Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis-SC.
Início - 20 horas

Atividades
Projeção de fotos de paisagens da região e exposição de obras dos artistas Cláudio Andrade e Neri Andrade.

Alimentos e bebidas
Caldo de feijão, cachaça artesanal de Ratones, sucos e pirão d´água com lingüiça (incluídos no convite), mais cerveja com venda à parte.

Mais informações com Celso Martins (3335 0200)

11 de fevereiro de 2011

Golpe político na Câmara de Vereadores da Capital


Hoje, ficou clara a manipulação do processo ético-disciplinar na Câmara Municipal de Florianópolis. Comandado pelos vereadores que obedecem ao vergonhoso Prefeito Dário Berger, foi constituído um golpe político, um tribunal de exceção. Uma vergonha para o Legislativo Municipal e para a cidade.

A condução do processo de votação do relatório do Conselho de Ética na tarde de hoje foi lamentável, conforme as palavras do relator do processo ético-disciplinar vereador Erádio Manoel Gonçalves (DEM). O relatório original pedia o arquivamento dos processos, mas numa manobra política os vereadores Renato Geske (PR), Edinon Manoel da Rosa (Dinho PSB) e Celso Francisco Sandrini (PMDB) pediram vistas ao processo e num passe de mágica surgiram com um novo relatório, garantindo assim a punição pretendida: o pedido de cassação.

Ficou claro que a Comissão presidida pelo vereador Geske foi comandada pelo prefeito Dário Berger, num evidente golpe político. A própria composição do Conselho de Ética compromete a seriedade de seus julgamentos, já que o vereador Dinho, que por ter sido membro da Mesa na gestão anterior, não poderia estar integrando a Comissão, numa clara ilegalidade regimental.

O único liberado de punição, João da Bega (PMDB), foi o responsável pelo que resultou neste desgastante processo. Mas o edil em algum momento vai precisar explicar sua motivação para arrastar a honra do Legislativo Municipal para tal lamaçal.

Por último, é no mínimo incoerente se dar publicidade, inclusive através da imprensa, ao relatório antes de findo o prazo para a defesa dos vereadores vitimados neste processo ético-disciplinar. Neste caso, instituiu-se um Tribunal de Exceção, não assegurando ao parlamentar Ricardo Vieira (PCdoB) a ampla defesa, uma garantia constitucional, visto que havia prazo até segunda-feira para apresentação da defesa. Mas isto é só o início do rastilho de um golpe político armado no Executivo Municipal com finalidade de acabar de vez com a oposição à gestão Berger.

Um mandado de segurança vai ser impetrado pelo vereador Ricardo Vieira (PCdoB) para garantir a anulação da deliberação desse Conselho, formado em sua maioria, por representantes do Prefeito Dário Berger em um processo repleto de nulidades.

Fonte: Assessoria do vereador Ricardo Vieira

Reajuste no Piso Estadual de salários agora está nas mãos dos deputados


Agora está nas mãos dos deputados estaduais o reajuste para o Piso Estadual de Salário. O Governador Raimundo Colombo enviou na quarta-feira (9) para a Assembleia Legislativa o Projeto de Lei Complementar 005/2011que aumenta os valores do Piso em mais de 7%.

O PLC é fruto de um acordo entre entidades sindicais de trabalhadores e de empresários que, em janeiro, abonaram um documento prevendo que os pisos passarão de R$ 587,00 para R$630,00, de R$ 616,00 para R$660,00, de R$647,00 para 695,00 e de R$679,00 para R$ 730,00.

O governador respeitou todos os termos do acordo entregue a ele pelas entidades incluindo, inclusive, o efeito retroativo da Lei a partir de 1º de janeiro de 2011. O PLC foi remetido ontem (10) à Comissão de Constituição e Justiça da ALESC.

De acordo com cálculos do Dieese, a mudança afetará os salários de aproximadamente 518 mil trabalhadores e torna o mínimo regional o segundo melhor do país, ficando atrás apenas do Paraná. Segundo o coordenador sindical do DIEESE Ivo Castanheira, este é um momento histórico para o movimento sindical catarinense.

_ “Ainda que abaixo dos 10,85% pleiteados pelo movimento sindical nas negociações, o reajuste concretiza a luta pela implantação, cumprimento e reconhecimento do Piso iniciado em 2006”, declarou.

Fonte: Fecesc

10 de fevereiro de 2011

Botando o Pauta na rua

Nesta quinta-feira, 10, tem reunião do Bloco de carnaval dos jornalistas "Pauta Que Pariu". O encontro é aberto para quem quiser participar e colaborar na organização do bloco que já é tradição entre os coleguinhas da imprensa. Esta é a setima vez que o bloco vai pra rua.

O primeiro desfile aconteceu em 1996, e após um longo jejum de 10 anos voltou às ruas em 2006 e de lá pra cá não parou mais. O encontro de hoje será às 19h na Kibelândia que fica na Rua Victor Meirelles, 98, centro de Florianópolis.

Mais uma vez o desenho da camiseta foi feito pelo ilustrador Alexandre Beck. Os "abadás" na cor rosa pink já estão a venda com os organizadores e na Kibelândia custando R$ 35,00. Filiados em dia com o sindicato terão desconto de R$ 5,00 mas neste caso as camisetas deverão ser adquiridas somente na sede da entidade.

O desfile acontece no sábado de carnaval, 5 de fevereiro a partir do meio dia na Kibelandia. Adquirindo a camiseta, cada participante, terá direito ao carreteiro que será servido e a oito unidades de água, refrigerante ou cerveja.

7 de fevereiro de 2011

Sindicato dos jornalistas retoma encontros com deputados em defesa do PL 063

O Sindicato dos Jornalistas retoma nesta terça-feira, com o reinício das sessões plenárias na Assembléia Legislativa, os contatos com os deputados estaduais em defesa do Projeto de Lei 063/2010.

O PL 063 foi apresentado no ano passado pelo deputado e jornalista Kennedy Nunes, e aprovado por unanimidade pelo parlamento catarinense. No início de 2011, foi vetado pelo governador, com base em um parecer de sua procuradoria. O veto será apreciado pelos deputados nos próximos dias.

O Projeto de Lei determina que para o acesso aos cargos comissionados e de carreira, os candidatos a jornalista devem apresentar diploma de cursos superior em jornalismo.

"Queremos que o governo do Estado possa cumprir uma de suas finalidades, que é a excelência no atendimento à população também quanto à comunicação", disse o presidente do Sindicato, Rubens Lunge.

Além dos contatos com os deputados, o Sindicato iniciou diálogos com os assessores de imprensa ou de comunicação de cada deputado. "Nossos colegas das assessorias são importantes, porque convivem com os deputados, e todos podem nos ajudar nesta hora", apontou Lunge.

O Sindicato também está convocando os professores e acadêmicos dos cursos de jornalismo de São Miguel do Oeste, Chapecó, Xaxim, Concórdia, Joaçaba, Caçador, Rio do Sul, Lages, Criciúma, Tubarão, Palhoça, Florianópolis, São José, Itajaí, Blumenau e Joinville, e que eles envolvam familiares e amigos, para que conversem com os deputados estaduais de suas regiões e solidifiquem o voto no PL 063/2010.

Para o presidente do Sindicato dos Jornalistas, os deputados devem perceber que fazer valer o Projeto de Lei é um reconhecimento do papel da Universidade, assim como o reconhecimento de que os cursos de jornalismo estão empenhados na formação de cidadãos capacitados para o exercício profissional.

Fonte: SJSC

4 de fevereiro de 2011

PCdoB de SC repudica calúnias contra o Vereador Ricaardo Vieira

A Comissão Política Estadual do PCdoB, em reunião recentemente realizada, emitiu nota pública em apoio ao vereador e presidente do Partido na capital. Leia abaixo na íntegra.

Nota
Diante das calúnias perpetradas pelo vereador João da Bega e das insinuações levantadas pelo prefeito Dário Berger contra o vereador Dr. Ricardo Camargo Vieira no episódio da votação para a eleição da mesa diretora da Câmara de Vereadores de Florianópolis, o PCdoB vem a público manifestar seu mais veemente repúdio, cobrar a verdade e o esclarecimento dos fatos:

1. O voto do Vereador Dr. Ricardo para a mesa da Câmara de Florianópolis manteve a coerência com a postura política de oposição ao prefeito Dário Berger, adotada pelo PCdoB e expressa na atuação de seus vereadores no decorrer dos dois mandatos do atual Prefeito.

2. A atuação do PCdoB na Câmara se pauta na luta em favor dos movimentos sociais, na defesa da ética e dos interesses do povo de Florianópolis. Cobramos apuração rigorosa de todos os escândalos que envolvem os Poderes Públicos Municipais como no episódio da Moeda Verde, a árvore de Natal, do milionário show de Andrea Bocelli, da reforma do prédio da antiga Câmara Municipal, entre outros. Vale destacar que a maioria dos vereadores da base aliada do prefeito sempre atuaram como “bombeiros” e tudo fizeram para encobrir e impedir a apuração das denúncias apontadas.

3. O PCdoB confia na conduta do Vereador Dr. Ricardo uma vez que em todos os momentos, seja em depoimento no inquérito policial ou na Comissão de Ética da Câmara Municipal, rechaçou as denúncias afirmando que as mesmas não passam de calúnias difamatórias e que têm como objetivo, além de atingir e desqualificar alguns Vereadores, justificar a derrota governista e lançar dúvidas sobre a vitória da oposição na Câmara Municipal. Sempre é bom lembrar que está em jogo neste processo, o cargo de Prefeito Municipal, já que existe a real possibilidade de cassação do mandato de Dário Berger pelo TSE e, neste caso, quem assumirá interinamente o mandato é o Presidente da Câmara.

4. Se fatos de tamanha gravidade tivessem ocorrido e sendo do conhecimento do Prefeito Dário, do então Presidente da Câmara Gean Loureiro e do Vereador João da Bega, candidato derrotado, porque estas autoridades não formalizaram as denúncias antes da eleição da mesa diretora? Vale destacar que estas autoridades teriam a obrigação de denunciar e apresentar as provas antes da eleição, sob pena de terem incorrido em crime de omissão e prevaricação e como tal devem ser responsabilizados.

5. Esta denúncia além de leviana é extemporânea. A ausência de provas caracteriza calúnia e difamação contra os Vereadores e tem caráter de “chororô” dos derrotados. Não basta apresentar testemunhas que são parte do processo e diretamente interessados, como o Vereador Gean Loreiro, ex-presidente da Câmara e seu chefe de gabinete, “premiado” com um cargo de confiança no gabinete do Prefeito Municipal.

6. O PCdoB tem defendido, acompanhado e prestando orientação, apoio político e jurídico ao Vereador Dr. Ricardo. As denúncias têm caráter meramente político e visam justificar a derrota acachapante do Prefeito Dário na Câmara Municipal. Merece destaque a atitude transparente do Vereador Dr. Ricardo que colocou à disposição da Justiça o sigilo patrimonial, bancário e telefônico.

7. Nem todos os partidos e políticos são iguais. Em sua trajetória de 89 anos de luta, o PCdoB é reconhecido por sua coerência e lisura no trato com a coisa pública. Este episódio não passa de uma tentativa de macular a imagem do Partido Comunista do Brasil e de suas lideranças visando enfraquecer a eficácia da política que tem implementado. Querem intimidar e calar a voz de quem ousa discordar e denunciar as irregularidades cometidas.

8. Coerente com sua história, o PCdoB cobra apuração rigorosa, transparente e isenta da Justiça, bem como da Comissão de Ética da Câmara Municipal. Quem denuncia tem que provar. Que os denunciantes apresentem provas concretas ou que venham a público se retratar e esclarecer as dúvidas suscitadas.

Florianópolis, 04 de fevereiro de 2011
Comissão Política do PCdoB em Santa Catarina

3 de fevereiro de 2011

Piso Estadual de Salários terá reajuste de mais de 7%

No dia 31 de janeiro as entidades sindicais de trabalhadores e de empresários entregaram ao governador do Estado Raimundo Colombo e ao vice-governador Eduardo Moreira uma proposta abonada por todos de reajuste para o Piso Estadual de Salário estabelecido pela Lei 459-2009.

Uma reunião pela manhã entre as entidades havia selado um acordo quanto aos valores finalizando um impasse que se arrastava desde agosto de 2010, período em que as centrais sindicais iniciaram as tentativas de diálogo com as entidades patronais e com o governo do Estado.

Ao receber o documento o governador elogiou a capacidade de diálogo entre as partes e destacou o ganho que este tipo de cenário gera para a economia estadual. “Posturas como estas fortalecem nosso discurso de atração de novos empreendimentos para o Estado”, destacou ao agradecer o empenho das entidades. Colombo se comprometeu em enviar já na próxima semana, quando iniciam os trabalhos na Assembleia Legislativa, o projeto em regime de urgência.

Segundo o coordenador sindical do DIEESE Ivo Castanheira este é um momento histórico para o movimento sindical catarinense. “É a primeira vez que há esse tipo de acordo consensuado entre trabalhadores e patrões”, declarou.

O termo assinado prevê que os pisos terão um reajuste superior a 7% e valerão a partir de 1º de janeiro de 2011. Divididos em 4 categorias passarão de R$ 587,00 para R$630,00, de R$ 616,00 para R$660,00, de R$647,00 para 695,00 e de R$679,00 para R$ 730,00.

Ainda que abaixo dos 10,85% pleiteados pelo movimento sindical nas negociações, o reajuste concretiza a luta pela implantação, cumprimento e reconhecimento do Piso iniciado em 2006.

“O povo catarinense obteve uma extraordinária conquista do reajuste do piso salarial estadual e, com ele, o reconhecimento pela classe empresarial, da legalidade e importância desse instrumento na distribuição de renda e desenvolvimento sustentável do nosso Estado. Conseguimos um reajuste acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que é de 6,46%”, destaca Neudi Giachini, presidente da CUT-SC.

De acordo com cálculos do Dieese, a mudança afetará os salários de aproximadamente 518 mil trabalhadores e torna o mínimo regional o segundo melhor do país. "O desfecho foi excelente, conseguimos negociar um reajuste acima da inflação e, principalmente, consolidar a Lei que institui os pisos", comemorou o supervisor técnico do Dieese, José Álvaro Cardoso.

Além de Castanheira, que também representou a FECESC, assinaram o termo o presidente da FIESC Alcantaro Corrêa, o presidente da FETIAESC Miguel Padilha, da FETICOM/SC Carlos Alberto Baldissera, da NCST/SC Altamiro Perdoná, da FETIESC Idemar Antônio Martini, da FETIMMMESC Ari Oliveira Alano, da CUT/SC Neudi Giachini, da UGT/SC Moacir Pedro Rubini, da FORÇA SINDICAL Osvaldo Mafra e da Fetroesc Rubens Müller.

Abaixo segue a nova tabela:
Lei 459/2009      Reajuste janeiro 2011
R$ 587,00          R$ 630,00
R$ 616,00          R$ 660,00
R$ 647,00          R$ 695,00
R$ 679,00          R$ 730,00

Fonte: FECESC

Sindicato dos Jornalistas trabalha para manter exigência do diploma no serviço publico estadual

O presidente do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina avaliou como positiva a primeira semana de atividades junto aos deputados estaduais para assegurar que a formação superior em jornalismo seja exigida para o exercício das atividades no serviço público estadual.

"Nosso empenho, assim como o trabalho incansável de parlamentares e de colegas jornalistas, que também desejam o melhor para a sociedade, deve pavimentar a validade do PL 063/2010", disse Rubens Lunge. Ele convocou os críticos aos métodos da direção do Sindicato a também trabalharem pela aprovação do Projeto de Lei.

No final do ano passado, a Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc) aprovou por unanimidade o Projeto de Lei 063, de autoria do deputado e jornalista Kennedy Nunes. No começo de janeiro, em vista de um parecer de sua assessoria, o governador Raimundo Colombo vetou o Projeto de Lei, que retorna para a Assembléia para apreciação do veto.

“Os jornalistas, os acadêmicos de jornalismo, os pais e familiares dos estudantes dos cursos de São Miguel do Oeste, Chapecó, Xaxim, Concórdia, Xaxim, Joaçaba, Caçador, Lages, Rio do Sul, Blumenau, Itajaí, Joinville, São José, Palhoça, Florianópolis, Tubarão e Criciúma, assim como os cidadãos e cidadãs em geral, são chamados neste momento a lembrar aos deputados que o Projeto de Lei recebeu aprovação unânime na Assembléia e que, ao mesmo tempo, vai ao encontro do desejo do governo, de qualificar os servidores para que cumpram o seu papel de bem atender à população", apontou Lunge.

Ontem, (02) o deputado Kennedy Nunes informou que o governador deve liberar a sua base no parlamento estadual, no momento da votação do veto. Em conversa nesta quinta-feira com o líder da bancada do PMDB, Manoel Mota, Rubens e o jornalista Paulo Arenhart apontaram a necessidade de manutenção do texto já votado na Assembléia. "A lei reconhece o empenho daqueles que buscaram na Universidade o conhecimento para o exercício de uma profissão importante, como é o jornalismo", afirmou Lunge.

Os contatos junto aos parlamentares recomeçam na terça-feira da semana que vem, quando serão reiniciadas as sessões na Alesc. "Vamos continuar buscando o apoio dos deputados e pedimos aos cerca de 4 mil jornalistas e a todos os estudantes dos cursos de jornalismo de Santa Catarina, assim como a seus familiares e conhecidos, que enviem mensagens e conversem com os representantes de suas regiões, mostrando como é importante estudar jornalismo para exercer a profissão", comentou Rubens Lunge.

Além destas ações, o Sindicato também mantém contato com a diretoria de comunicação do governo estadual e prepara uma reunião com os jornalistas que assessoram os deputados estaduais, com vistas a abrir caminhos de diálogo com os gabinetes e assegurar o voto em defesa dos jornalistas. "Esperamos conquistar a validade do PL 063/2010 e essa conquista não será apenas nossa, pois temos a certeza de que ela fará bem ao governo e à sociedade", apontou Lunge.

Antes de ser levado ao Plenário para votação, o veto do governo deve ser analisado na Comissão de Constituição e Justiça da Alesc. O dia da análise e da votação ainda não está definido. O presidente do Sindicato disse que é importante que os colegas formados, assim como os professores dos cursos, os acadêmicos e seus familiares, que lutam tanto para manter os jovens na Universidade, participem, estando presentes à sessão. O Sindicato informará a data assim que ela for definida pela Assembléia Legislativa.

Fonte: SJSC - Silvia Agostini Pereira - jornalista (JP 3890 - SC)

2 de fevereiro de 2011

Comunidade publica carta aberta em apoio ao vereador Ricardo

Entidades do movimento social e popular de comunidades de Florianópolis tornam público seu apoio e solidariedade ao vereador Ricardo Vieira, do PCdoB. A nota divulgada pelas entidades está transcrita abaixo. As fotos enviadas pelo Wladmir Crippa são da manifestação realizada na Camara de Vereadores na noite desta terça-feira, 01 de fevereiro em apoio ao vereador Ricardo.

CARTA ABERTA AOS MORADORES DE FLORIANÓPOLIS
Amig@s, é uma angustia muito grande ver que a mídia fala o que “alguns” querem, e não permite que a sociedade tire suas conclusões, pois não mostra os dois lados da moeda. A mídia eleva, assim como detona a imagem das pessoas. Isso se apresenta muito mais intenso, quando temos alguém que conhecemos e que está sendo arrasado por ela, sem espaço para a defesa. O lado bom, é que hoje temos a internet, como um meio alternativo para tentar fazer o movimento contrário.

O que estão fazendo com o vereador Dr. Ricardo Camargo Vieira é reflexo da política suja e desinteressada com Florianópolis. Não temos representantes, temos interesseiros. Defendemos o vereador Dr. Ricardo porque o conhecemos pessoalmente, ele se elegeu a partir da base do Fórum Social do Saco Grande, uma organização colegiada de entidades da região, que cansada de ser esquecida pelo poder público municipal, organizou-se, e para além de eleger um vereador idôneo que é o Dr. Ricardo, o acompanha exercendo o real papel de cidadãos, que entendem que não basta votar, é imprescindível acompanhar as ações de seu representante! Sabemos que o vereador Dr. Ricardo é íntegro, têm ideais, e verdadeiramente luta por interesses que também comungamos. É violento o que a mídia está fazendo.

Ele tornou-se o foco, e assim, aqueles que deveriam estar sendo investigados e na boca do povo, para que mostrassem, provassem as acusações feitas levianamente, estão sossegados e livres, e continuam fazendo a política medíocre e sem compromisso com a população.

Quando temos alguém como o Dr. Ricardo, que representa os interesses coletivos, alguns se sentem incomodados, e o jeito é tirá-lo do caminho. Se vocês querem saber mais sobre o vereador e as verdades dos fatos, fique muito atento, pois os grandes meios de comunicação noticiam o que é pago, portanto, a verdade tão necessária, não é a prioridade, mas na internet podemos trocar informações mais fieis e acompanhar o vereador Ricardo pelo seu site, twitter, facebook, entre outros, pois estes espaços, os políticos safados ainda não podem controlar seu conteúdo, embora haja também os que por interesses particulares, manipulam estes instrumentos com mentiras e acusações. O Dr. Ricardo como vereador, está cumprindo o que prometeu, defendendo os interesses do coletivo, e para isso é preciso colocar o dedo na ferida, ser oposição frente as barbaridades que esse prefeito anda aprontando na cidade, falar a verdade, doa a quem doer, e tudo isso tem um preço, como estamos vendo: a tentativa de macular a imagem do vereador Dr. Ricardo.

É por esse motivo, que a comunidade que o elegeu tem buscado apoiá-lo neste momento em que sofre essa injustiça, e a defender a verdade dos fatos, e a verdade é só uma: o Dr. Ricardo é ficha limpa, já os que o acusam, tem ficha extensa e podre.

Nós da região do Saco Grande, temos grande orgulho de termos o vereador Dr. Ricardo na Câmara de Florianópolis, pois, acreditamos na sua honestidade, caráter, dignidade e moral, o que muitos vereadores certamente não têm. Queremos que estes vereadores que estão acusando o Dr. Ricardo apresentem provas à sociedade. Acusar por acusar tendo a mídia como aliada, é fácil, principalmente quando o real interesse é neutralizar uma pessoa que interfere nos interesses de alguns “poderosos”. Voltamos a frisar: os assuntos de real interesse na cidade saíram do foco!!! Como ficou a moeda verde? E a cassação do nosso prefeito itinerante e já condenado na cidade de São José, por improbidade administrativa? E o superfaturamento da árvore de Natal e do show do Bocceli?

-Você sabia que o vereador Dr. Ricardo, juntamente com movimentos sociais da cidade, impediu que ocorresse a Audiência Pública que pretendia que a conclusão do Plano Diretor da Cidade acontecesse sem a participação popular, garantida no estatuto da cidade? (ver vídeo no youtube);

- Sabia que o vereador foi contra o projeto de alteração do zoneamento na área da Penitenciária de Florianópolis, na Agronômica, que visava especulação imobiliária?

- Que fez denuncias quanto ao abandono da saúde Pública?

- Que está sempre presente e apoiando os movimentos sociais e sindicais da cidade?

- Que participa de reuniões e debates nas comunidades em toda a cidade?

- Que foi contra a privatização da Zona Azul, tomando a frente nesta luta?

- Que foi contra a criação de mais de 600 cabides de emprego na Prefeitura?

- Que denunciou a fraude do Show do Bocceli e o superfaturamento da árvore de natal em 2009, e também o superfaturamento da restauração da antiga Câmara Municipal?

É fato!!!! O vereador Dr. Ricardo incomodou bastante e impediu falcatruas que não beneficiariam a cidade, senão alguns poucos “interesses”. Será que é isso? É preciso retirar a pedra do sapato?

É preciso sim, uma investigação séria, com a polícia e órgãos competentes! Ir a fundo nesta história, e investigar a Câmara inteira e principalmente a Prefeitura.

Nós queremos provas!!! Não acreditamos nas notícias apresentadas pelos que são comprometidos com os interesses de poucos, e tampouco, acreditamos em vãs palavras proferidas por pessoas levianas que não são capazes de PROVAR as acusações que fazem!!!!!

ESTAMOS VIGILANTES, E NÃO DEIXAREMOS QUE ESSA HISTÓRIA FIQUE ESQUECIDA!!!!!ACUSOU!!!! VAI TER QUE PROVAR!!!!!

Subscrevem esta carta:
COMOSG- Conselho dos Moradores do Saco Grande
AMOVIT – Associação dos Moradores da Vila Tecnópolis
Pastoral da Saúde Saco Grande
Pastoral da Criança Saco Grande
APROCOM – Associação Pro Comunidade do Monte Verde
Comissão de Moradores Morro do Balão
Movimento Portal do Cacupé

1 de fevereiro de 2011

Pela derrubada do veto ao projeto que exige formação superior para os jornalistas no serviço público


A Assembléia Legislativa de Santa Catarina apreciará o veto do Poder Executivo ao Projeto de Lei 063/2010, que trata da exigência da formação superior dos jornalistas para os cargos comissionados e para os concursos públicos em órgãos estaduais da administração e indireta. O governador vetou o projeto por conta do parecer de sua Procuradoria, que aponta inconstitucionalidade no texto aprovado por unanimidade pela Assembléia Legislativa em 2010.

O Sindicato dos Jornalistas, que busca uma saída para a CONQUISTA PERMANENTE E INQUESTIONÁVEL, convoca a todos para que, mesmo diante da dúvida jurídica, derrubemos o veto na Assembléia. Chamamos a você, jornalista catarinense ou de outro Estado que aqui trabalha e reside, e a você, acadêmico de jornalismo, assim como a todos os cidadãos que desejam um jornalismo com profundidade, ético e coerente com a finalidade do serviço público, a enviar mensagem aos deputados que julgam o veto do governador. O texto que propomos está abaixo, assim como os endereços dos deputados que assumiram no dia 1º de fevereiro de 2011.

Texto sugerido:

Sr. Deputado Estadual de Santa Catarina,

Eu quero jornalismo de qualidade no serviço público estadual. Por isso, defendo a derrubada do veto do PL 063/2010, de autoria do deputado Kennedy Nunes. Como eleitor, peço que V.Sa. acompanhe o meu voto, também derrubando o veto, e fazendo valer uma lei que assegura qualidade no jornalismo praticado em todos órgãos estaduais da administração direta e indireta.

Conto com a sua decisão,

Nome do eleitor/Cidade

Moradores do Campeche protestam contra show no Riozinho

Moradores e entidades populares do Campeche e do sul da ilha realizam hoje, (01/02) às 19h, ato de protesto na Câmara de Vereadores. Entregam documento aos vereadores exigindo a moratória na liberação de licenças para construções enquanto não houver um Plano Diretor deliberado pela cidade organizada. Também querem uma posição da instituição quanto ao mega-show programado para a praia do Campeche, no ponto onde deságuam os rios Noca e Rafael.

Segundo o presidente da Associação dos Moradores do Campeche (Amocam), Ataíde Silva, até ontem (dia 31 de janeiro) não havia alvará de licença de vários órgãos ambientais e municipais. Tampouco há qualquer organização da segurança e de saneamento.

O mega show pretende trazer para a comunidade – que é eminentemente residencial – milhares de pessoas. Os moradores entendem que não há estrutura para suportar um evento desta grandeza e temem, tanto pelos que devem participar do evento, quanto pela própria comunidade.

Em reunião realizada ontem à noite, as entidades decidiram encaminhar um documento aos vereadores que iniciam hoje seu trabalho e pretendem sensibilizá-los para os mais variados problemas que a comunidade enfrenta atualmente. Entre eles estão a invasão das dunas, as construções irregulares, a destruição da área de preservação permanente e do lençol freático.

Os manifestantes também deverão encontrar-se com o Secretário de Turismo, Márcio de Souza. A mobilização de moradores e entidades populares se concentra nas escadarias da Catedral a partir das 18h.
Autor: Elaine Tavares