30 de junho de 2011

10 mil multas emitidas em um mês são anuladas em Palhoça

Martha Ramos no ndonline.com.br- Instalados desde o dia 1º de maio deste ano, os dois sensores de velocidade situados em Palhoça foram alvo de reclamações devido ao elevado número de multas aplicadas para quem passa acima dos 40km/h.

Diante disso, o Setor de Trânsito de Palhoça decidiu desligar os sensores temporariamente e devolver o dinheiro das multas. Assim, os motoristas que receberam multa nestes locais poderão recorrer no Setor de Trânsito para ter o valor ressarcido.

Um dos sensores está localizado no cruzamento da avenida Barão do Rio Branco com a rua Ari Vagner, e o outro no cruzamento da avenida Atílio Pagani com a avenida Ilza Terezinha Pagani.

Segundo o diretor de trânsito, Nelson Paiva, somente nos últimos 30 dias foram aplicadas 10 mil multas, de um total de cerca de 700 mil veículos que passaram por esses sensores de velocidade. Isso quer dizer que 1,1% dos motoristas que passaram pelos sensores foram punidos.

Até a última terça-feira (28) o limite de velocidade permitido nesses locais era de 40 km/h. Agora, devido às reclamações o Setor de Trânsito contratou um grupo de engenheira da empresa Via 11 para realizar estudos e apurar se essa velocidade pode ser aumentada. “Provavelmente a velocidade máxima permitida passará a ser de 60 km/h, com os dois sensores voltando a funcionar dentro de 15 dias”, afirma Paiva.

Além dos sensores, neste ano também foram instaladas 25 lombadas eletrônicas no município. “O objetivo é prevenir acidentes de trânsito e educar as pessoas”, diz o diretor.

Figueirense 2 x 1 Santos

Uma vitória sobre o campeão da Libertadores e o retorno ao G4. Figueira invicto no Scarpelli.

Grêmio 2 x 2 Avai

A se destacar, o fato de que, finalmente, o Avai conseguiu largar a lanterna. Até quando será...

29 de junho de 2011

Opiniões sobre a Indústria das Multas na Palhoça

Reproduzo algumas opiniões postadas neste blog sobre os multas emitidas pelo semáforo instalado na esquina das ruas Atilio Pagani com Ilza Terezinha Pagani onde está localizada a Prefeitura de Palhoça.

Jéssica e Thiago moradores de Bairro São Sebastião disseram:

É isso aí prefeito, além de embolsar todo mês 200 mil reais que deveriam ser pagos a CASAN pelo tratamento de água, agora conseguiu um excelente jeito de montar seu caixa 2..ops..o da prefeitura..é um absurdo que 4 pessoas que eu conheço levaram 4 e 5 multas cada um no prazo de 2 semanas no mesmo local..adivinha onde??? EM FRENTE A PREFEITURA.

Diego Wendhausen Passos disse:
Trabalho no posto de saúde do Madri, e alguns de meus colegas frisaram que sequer colocaram placas com limite de velocidade. E como a Jéssica e o Thiago citaram, todas as multas que as pessoas levaram foi na sinaleira em frente a prefeitura. Outra coisa que gostaria de abordar aqui: na Avenida das Tipuanas, Loteamento Madri, alguns motoristas e motociclistas passam em uma velocidade acima dos padrões para o movimento de pedestres no local. Um de nossos vigilantes, o João, foi atropelado, ficando algumas semanas internado no Hospital. Acho que a questão não fica em aplicar as multas, mas em educar as pessoas a seguirem às regras.

Anônimo disse...
Realmente está demais. Sem saber também levei 6 multas. Teve pessoas que levaram 7 outras 10. Um carteiro me disse que em apenas 1 dia tiveram que entregar mais de 2000 multas só no Madri. Meu vizinho me disse que um levantamento do correios foram mais de 3700 multas numa semana só no Madri. Isso seria mesmo verdade? Só sei que eu levei 6 e não me disciplinou não...só me revoltou. Obviamente ali no semáforo passo a 30, mas no resto da avenida? não deveria ser também 40? Me digam quem consegue? Tentei andar entre 30 e 35 km/h ali...é impossível atravessar toda a avenida Pagani nesta velocidade. Olha, honestamente: EU NÃO SABIA QUE TINHA UM RADAR ALI... Quem avisou? Qual a placa indicativa dizendo que tinha radar ali... QUEM TEM O "PODER" TEM TAMBÉM A "OBRIGAÇÃO" de fazer alguma coisa. Não acredito que um advogado, promotor, vereador e até mesmo o prefeito... não possam fazer algo. Pois na Lei de Transito Brasileira é bem clara em seu PRINCIPAL OBJETIVO: Educar e Conscientizar os motoristas para o Transito. O que acontece comigo levando estas 6 multas em 4 dias, é de REVOLTA e não CONSCIENTIZAÇÃO. Veja bem: eu me conscientizaria com apenas uma multa. ISSO SERIA UMA VERGONHA pro nosso município e uma decepção pra mim. Vou me lembrar disso no próximo pleito! AGUARDO PELO CONSCIENTIZAÇÃO DE ALGUEM QUE TENHA O PODER E VERGONHA NA CARA DE NÃO ADMITIR ESTA MAQUINA DE SAQUEAR DINHEIRO DA POPULAÇÃO SEM PELO MENOS, AVISO PRÉVIO....

Christian Anton disse:
Bom, levei 3 multas, sendo 2 de madrugada, quando o sinal se encontra intermitente, isso que nem moro por ali, meu sogro que mora no Pagani levou 5, e meus cunhados levaram 12. É impressionante o absurdo que é aquele radar, me sinto totalmente ridicularizado com as multas, fora o prejuízo e ter que correr atrás disso, levei uma média, uma grave e uma gravíssima, 45, 55 e 61km/h respectivamente.

26 de junho de 2011

Internacional 4 x 1 Figueirense

Foi o minuano, só pode. A rapaziada ficou com o pé frio. Com a derrota no Beira Rio, Figueira cai para a sexta posição na tabela.

Avai 0 x 1 Fluminense

Mais uma derrota em casa e uma regularidade impressionante. Seis rodadas segurando a lanterna.

24 de junho de 2011

Indústria das multas na Palhoça

Além de ser a cidade mais pujante do estado, Palhoça agora tem também o cruzamento que mais arrecada com multas no mundo. O Semáforo da avenida central do Pagani onde fica a Prefeitura tem trabalhado como nenhum outro.

Matéria do Jornal Palhocense informa que um único carteiro num único dia entregou 800 autuaçõe na região. Hoje eu recebi minha cota: 3 multas. Ali a velocidade máxima permitida é de 40km. Passei por ali, segundo as infrações a 42 km/h e 43 km/h duas vezes.

O Semáforo funciona desde maio, mas em nenhum momento ficou claro que haveria o controle da velocidade e limitada ha apenas 40Km/h. Nem antes, nem durante, nem depois da instalação do semáforo houve esclarecimentos aos motoristas. Ai chegam as multas. Isso é extorsão.

É a indústria das multas correndo solta na Palhoça e o cruzamento da prefeitura é o mais aplicado na arrecadação. Quem se beneficia? Na Palhoça inventaram uma nova modalidade de assalto à motoristas em cruzamentos. Um semáforo guloso bem em frente a Prefeitura. Quem ganha?

22 de junho de 2011

Doce de Coco em exibição no Cine Ieda Beck

O Cine Ieda Beck entrará em cartaz, nesta quarta-feira, (22) com um dos filmes mais exibidos no estado de Santa Catarina, Doce de Coco. Fruto do Prêmio Cinemateca Catarinense/ Fundação Catarinense de Cultura/ 2005, o longa será exibido pela primeira vez em um cineclube da capital. Rodado em 33 dias, o filme teve como cenário o pacato bairro do Ribeirão da Ilha, que nestes dias se transformou em um set de filmagem.

Travessa Cultural

Cineclube Ieda Beck
22 de Junho de 2011, 20h – ENTRADA FRANCA
Cinemateca Catarinense – Travessa Ratclif, 56 – Centro, Fopolis, SC

O filme já foi exibido no FAM – Festival Audiovisual Mercosul em 2008 e Mostra Internacional de Cinema de São Paulo/Outubro de 2008, além de outras cidades como Salvador, Florianópolis, São José , 24 cidades do interior paulista (dentro do projeto Vá ao Cinema, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo), 4 cidades do interior fluminense (dentro de um projeto da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro) e 25 cidades de Santa Catarina (projeto Cinema para o povo sem Tela).

O responsável pelo roteiro e direção é o experiente Penna Filho, que acumula em seu currículo diversas funções cinematográficas, atribuições estas que o fizeram apostar neste filme.

Doce de Coco narra a história de Madalena, uma sacoleira, e seu marido Santinho, artesão sacro, num momento em que a crise econômica do país também abala as finanças da família. Para sair da situação difícil em que se encontra, o casal apela para as apostas na loteria, até que a mulher tem um sonho fantástico: a existência de um tesouro enterrado no cemitério da pequena cidade em que vive a imaginária Fartura. O problema é desenterrar o tesouro, quando o casal enfrenta situações embaraçosas e muito hilariantes.

Elenco Principal:Antonella Batista (Madalena), Hélio Cícero (Santinho), Maria Carolina Vieira (Imaculada), Gil Guzzo (Salvador), Margarida Baird (Anjinha), Berna Sant'ana (Graça), Renato Turnes (Messias), Padre (Édio Nunes)

Equipe : Direção e Roteiro: Penna Filho,Produção-Executiva: Guido Zandonai, Dir. Fotografia: Adriano Barbuto, Montagem: Tiago Santos/Penna Filho,Música: Silvia Beraldo,Arte: Fabi Penna/Maurício Muniz,Técnico e Editor de Som: Leonardo Gomes,Maquiagem: Adriana Bernardes,Figurino: Emanuela Vieira,Mixagem: Rob Filmes (RJ),Laboratório de imagem: Labocine(RJ),Negativo 35 mm: Fuji,Transfer dos créditos: CineCom (SP),Som: Dolby

Uma realização: Cinemateca Catarinense, Fundo Municipal de Cinema de Florianópolis e Prefeitura Municipal de Florianópolis Parceiros: Travessa Cultural,Instituto Arco – Iris e Fundação Cultural Franklin Cascaes

17 de junho de 2011

As Mulheres e a Reforma Política

A Bancada Feminina da Assembléia Legislativa de Santa Catarina, constituída pelas Deputadas Ana Paula Lima (PT), Angela Albino (PCdoB), Dirce Heiderscheidt (PMDB) e Luciane Carminatti (PT), juntamente com o Fórum Estadual de Instâncias de Mulheres de Partidos Políticos de Santa Catarina, formado por representantes do DEM, PCdoB, PDT, PMDB, PP, PPS, PR, PRB, PSB, PSDB, PT e PTC convidam a todas e todos para o Seminário “As mulheres e a Reforma Política”.

A participação política das mulheres vem crescendo e o seu protagonismo, hoje, é incontestável. Apesar desses avanços, a sub-representação feminina nos espaços de poder e decisão é uma realidade em nosso Estado e País e se constitui num entrave para a construção da verdadeira democracia.

O debate da Reforma Política em curso interessa às mulheres que querem ter suas reivindicações ouvidas, para que possam fazer avançar a construção da igualdade entre homens e mulheres.

O Seminário “As mulheres e a Reforma Política” é momento importante de debate, troca de idéias e sistematização sobre o que as mulheres catarinenses esperam desta reforma.

Seminário “As mulheres e a Reforma Política”.

Data: 04/07/2011
Horário: 13:30h às 19:00h
Local: Plenário da Assembléia Legislativa de Santa Catarina

Programação:
13:30h – Abertura
14:30h – 1º Painel: Reforma Política: Democratização do Poder e a Participação das Mulheres.
Objetivos: A contextualização da participação e as estratégias para aumentar a participação das mulheres na política
Palestrantes: Vanessa Grazziotin (Senadora - PCdoB); Luci Choinacki (Dep. Federal - PT)
16:30h – 2º Painel: Prioridade das Mulheres na Reforma Política e a Responsabilidade dos Partidos.
Objetivo:Construção de uma pauta mínima das mulheres para a Reforma Política.
Palestrantes: Luiza Erundina (Dep. Federal - PSB); Elcione Barbalho (Dep. Federal – PMDB); Liége Rocha (Membro do Fórum Nacional de Instâncias de Mulheres de Partidos Políticos)
18:30h – Coffee break

Informações: (48)3221-2686/3221/3221-2680/3221-2698/3221-2662

14 de junho de 2011

Liberdade de Imprensa X Jornalismo: A diferença que o STF não compreendeu

Na semana em que a decisão do STF pela não obrigatoriedade do diploma de jornalista para o exercício da profissão completa dois anos – 17 de junho de 2009 -, o Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina promove edição do Círculo da Palavra., sobre Liberdade de Imprensa x Jornalismo: a diferença que o STF não compreendeu. (Clique na figura para ampliar).

O debate com Celso Martins da Silveira Júnior - jornalista e historiador e João dos Passos Martins Neto - jornalista e procurador do Estado acontece no dia 14 de junho, terça-feira, às 19h30, no mini-auditório da FECESC (Av. Mauro Ramos, 1624, na frente do banco redondo. O evento será transmitido pela TVFloripa - Canal 4 na NET e pela internet em http://www.tvfloripa.org.br/ clicando em "ao vivo".
Fonte: SJSC


35º Congresso da UCE elege Dérique Hohn presidente da entidade


Plenária final do Congresso da UCE
 Aconteceu nos dias 11 e 12 de Junho o 35º Congresso da União Catarinense dos Estudantes na cidade de Jaraguá do Sul. O evento contou com a participação de estudantes de todas as regiões do estado catarinense, cerca de 300 pessoas.

Os participantes puderam debater muitos assuntos relativos a educação superior catarinense, tais como Prouni, Reuni, Cotas, Artigos 170 e 171 da Constituição Estadual, a PEC da UCE de nº 011/2010 que garante 50% dos recursos do Pré-sal a serem enviados ao estado sirva para um fundo específico para o desenvolvimento do estado por meio da educação pública, gratuita e de qualidade.

Além da discussão do momento que é o PNE, temas no centro do desenvolvimento nacional, foram debatidas também as defensorias dativa e pública com um representante da OAB/SC e a Defensoria Pública de SP.

“Tive o privilégio de mediar algumas mesas nesse congresso, e os estudantes que participaram demonstraram muito interesse, além de muita qualidade de conteúdo. Dá pra perceber que eles querem participar mais da entidade, das nossas ações pelo estado, e a sistematização que estão saindo dos debates serão as pautas da UCE nos próximos dois anos, e garantir uma pauta avançada é um dos nossos maiores objetivos” afirmou Pedro Victor, Presidente do DCE da UNESC e Diretor de Universidades Pagas da UCE.

No dia 12 de Junho às 11h30min começaram os trabalhos na mesa da plenária final do congresso. O presidente da UCE leu moções e resoluções sistematizadas após os debates no dia anterior, e todas foram aprovadas consensualmente.

“Esse congresso, que foi o maior congresso desde a reformulação do nosso estatuto, teve como característica a qualidade política dos estudantes presentes, tanto é verdade que não pautamos em nossa programação um tema muito importante pra SC, e os próprios estudantes puxaram o debate sobre Sistema Acafe no final do dia, após o jantar, no ginásio de esportes da Escola Julius Karsten, e nós estávamos presentes contribuindo no debate”, declara Vander Rodermel presidente da UCE.

Na plenária final foram inscritas 3 chapas: 1- “Articulação UCE pra Frente”, 2 – “UCE é pra Lutar!” e 3 – “Reconquistar a UCE pra Transformar o Sonho em Realidade”. As três chapas fizeram suas defesas e antes da votação a chapa de oposição de nº 2 – “UCE é pra lutar”, retirou sua candidatura. Sendo assim, ao final da votação, foram apurados os votos e constatado a vitória da chapa 3 – “Reconquistar a UCE pra Transformar o Sonho em Realidade” por 69 votos contra 66 da chapa 1.

O presidente eleito no 35º Congresso da União Catarinense dos Estudantes, foi o estudante de Filosofia da Universidade Federal de Santa catarina, Dérique Hohn, que logo após anunciada a vitória, foi conduzido até o microfone, e mesmo rouco, fez seu pronunciamento:

“Quero agradecer a todo mundo que participou dos debates aqui nesse congresso, mas que muito antes dele, já havia feito alguma atividade em sua universidade no período da Jornada de Lutas, seja uma culturata, paseata, debates sobre o pré-sal ou sobre o PNE, seja pela regulamentação do ensino privado, sobre a democratização do acesso e a permanência dos estudantes a universidade. Agradeço pois foram vocês que construíram esse movimento vitorioso deste congresso!” declarou em seu primeiro discurso como presidente eleito da UCE.

“Ao Dérique, desejo uma gestão infinitamente melhor que a minha, pois tivemos muitas dificuldades conjunturais na UCE, mas que mesmo com essas dificuldades fizemos nosso papel ao construir a PEC da UCE, um projeto que garanta 50% do pré-sal pra educação ou pelo Fora Pavan que fizemos no ano passado. Sei da trajetória do Dérique e com certez dará um salto de qualidade na UCE no próximo período. Desejo ousadia, luta, garra, porque se o presente é de luta, a vitória nos pertence!” finalizou Vander, em tom de despedida da presidência da UCE.

“Esse congresso foi muito emocionante, onde nós vemos um presidente como o Vander que é uma referência em SC pro movimento estudantil, percebemos o carinho e amizade dos estudantes por ele. E também esse foi um congresso muito disputado. E agora, ver o Vander passando a faixa presidencial pra um garoto novo, que já tem muita história de luta, combatividade na defesa dos estudantes, que é o Dérique nos deixa mais tranqüilos. Sem dúvida alguma, a UCE está em um novo momento, de renovação e de uma perspectiva positiva, que resultará em muitas vitórias aos estudantes de Santa Catarina” afirmou Augusto Chagas, Presidente da UNE. Fonte: União Catarinense de Estudantes.

Ponta do Coral em Debate

A assessoria do vereador Márcio de Souza (PT) divulgou o Relatório da Reunião Ampliada sobre a Ponta do Coral, localizada na Avenida Beira Nar Norte, no bairro Agronômica realizada no dia nove de junho de 2011 na sede da Sociedade Novo Horizonte. Em discussão a possibilidade de construção de um empreendimento chamado "Parque Marinas Ponta do Coral" naquele local.

De acordo com o relatório divulgado, (transcrito abaixo) o assunto deve voltar a ser discutido em uma Audiência Pública, no âmbito das Comissões de Meio Ambiente, Viação e Obras Públicas da Câmara Municipal de Florianópolis. O requerimento de Audiência Pública é de autoria do Vereador Márcio de Souza em conjunto com outro vereador. A reunião deve acontecer tão logo o Relatório de Impacto Ambiental esteja concluído.

Sobre o assunto existe um abaixo assinado pedindo uma Ponta do Coral sem edificações. Quem desejar assina-lo basta clicar sobre o link:
Abaixo-assinado SOS FLORIANOPOLIS - Ponta Do Coral Pública e sem edificações


Relatório da REUNIÃO AMPLIADA (09/06/2011) sobre o empreendimento pretendido para a PONTA DO CORAL, no bairro Agronômica.

Realizou-se, em 09 de junho de 2011, às 19 horas, na Sede da Sociedade Novo Horizonte, reunião ampliada, coordenada pelo mandato do Vereador Márcio de Souza (PT), a fim de debater acerca do empreendimento imobiliário ora denominado "Parque Marinas Ponta do Coral", com possibilidade de construção na Ponta do Coral, no Bairro Agronômica.

A referida reunião, presidida pelo Vereador Márcio de Souza, contou com a presença da Dra. Isolde Espíndola, Superintendente do Patrimônio da União em SC, do Engº José Carlos Rauen, Secretário Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, do Sr. Marcelo Ferreira, Gerente de Fiscalização Ambiental da Fundação Municipal do Meio Ambiente, além de diversas lideranças comunitárias, incluindo o Sr. Eduardo Farias, Presidente da Sociedade Novo Horizonte, o qual, gentilmente, cedeu as dependências da mesma para a reunião.

Primeiramente, o Engº Rauen explanou acerca das suas atribuições em relação às questões ambientais do município, dizendo que o processo de viabilidade, para a construção no terreno, ainda não foi oficializado na Secretaria, informando que tem conhecimento do empreendimento pela mídia, além de explicitar que, para a autorização de um empreendimento deste, será necessária a ajuda de toda a comunidade, além da dos órgãos competentes.

A Dra. Isolde Espindola salientou que qualquer empreendimento traz problemas, passíveis de serem resolvidos dentro dos ditames democráticos, informando que o referido empreendimento é um projeto bastante complexo, deixando claro, ainda, que parte da área em que o empreendimento está inserido pertence ao Patrimônio da União, bem como parte do terreno, que hoje é de propriedade privada, era pertencente ao Estado, o qual passou para a extinta FUCABEM e a mesma, que tinha "foro", o vendeu para a iniciativa privada.

Disse, ainda, que a área em questão sempre foi objeto de discussão por parte do Poder Público, e que, o que antes era uma Área Verde de Lazer, transformou-se em Área Turística Exclusiva. Alertou, ainda, que, da área atual do terreno, 83% é de particular e os outros 17% são de propriedade do Patrimônio da União, tal qual a área em que, atualmente, estão os ranchos dos pescadores.

Como parte da Ponta do Coral é pública, Dra. Isolde informou que a Prefeitura poderia requerê-la para construir qualquer bem público. Com relação a possíveis aterramentos do local em questão, disse que pode, sim, ser aterrado, desde que a Prefeitura solicite, comprovando a necessidade pública para tal.

Por fim, deixou claro que o projeto referente à autorização para construção do referido empreendimento só foi protocolado junto à SPU recentemente, não podendo a mesma expressar juízo de valor neste momento, portanto, ali estando para dar esclarecimentos à comunidade sobre o assunto, tão somente.

O Sr. Marcelo Ferreira também referendou o que disse Dra. Isolde, quanto à questão de favorecimento ou não ao empreendimento, dizendo serem necessários todos os esclarecimentos quanto ao mesmo, bem como ressaltou a importância do empreendimento ser realizado e conduzido da melhor forma possível, portanto, da necessidade do empreendedor atender as exigências legais, bem como as da comunidade.

Representantes e moradores da comunidade se manifestaram, sempre destacando as debilidades do bairro, entre outras, falta de água, principalmente durante a temporada de verão, racionamento de energia elétrica e dificuldade de mobilidade devido aos constantes congestionamentos no tráfego, sendo que alguns representantes e/ou moradores listaram o que poderia ser feito, pelo poder executivo e/ou pelos empreendedores, para beneficiar a comunidade e a cidade como um todo.

O Sr. Gert Schinke, ambientalista, sugeriu que um Fórum deve ser criado na comunidade, tal qual ao que foi criado na Armação do Pântano do Sul, o qual dliberou acerca da área que, recentemente, foi aterrada naquela localidade, devido às catástrofes climáticas, pois a comunidade, que vai acolher diretamente o empreendimento, deverá opinar, também, sobre a real destinação da área.

Por fim, o Vereador Márcio de Souza disse que não estava mobilizando os interessados em discutir o novo empreendimento por conta de ser favorável ou contra o mesmo, mas sim por estar cumprindo seu papel de parlamentar, frisando que é necessário obter informações, e difundi-las, acerca dos Estudos de Impacto de Vizinhança e Impacto Ambiental, para, depois, então, fazer a devida análise.

Acredita que o sítio da Ponta do Coral é um local de grande valia para a população de Florianópolis, principalmente para os moradores da Agronômica, pois o local é histórico e já serviu de lavanderia para o antigo Abrigo de Menores, o qual muito ajudou os filhos da localidade.

Disse que a discussão aberta, ali iniciada, é uma reunião representativa, com tendência a se ampliar, e que cabe a ele alimentar um debate conseqüente e democrático, que vise melhorar as condições de vida das pessoas.

Por fim, informou que será realizada uma Audiência Pública, no âmbito das Comissões de Meio Ambiente, Viação e Obras Públicas da Câmara Municipal, solicitada por requerimento dele e de outro vereador, e que a mesma se realizará tão logo o Relatório de Impacto Ambiental estiver concluído.

Nilza Nelci Girolla (Chefe de Gabinete e Assessora de Comunicação)
Dr. Júlio César Farias Junior (Apoio Jurídico)

11 de junho de 2011

Vasco 1 x 1 Figueira

Com gol no finalzinho, Figueira garante ponto importante fora de casa.

Avai 2 x 2 América-MG

Empate no finalzinho e primeiro pontinho no campeonato. E a lanterna na mão.

10 de junho de 2011

Jornalistas elegem Comissão que irá definir regras da eleição no sindicato

Em Assembléia Geral na manhã desta sexta-feira, dia 10, na FECESC, com a presença de quase 60 trabalhadores – a mais participativa desde o início da atual gestão - foi eleita a Comissão Eleitoral que irá ficar responsável por todo o processo eleitoral que definirá a próxima gestão do SJSC.
Os sindicalizados aprovaram, por maioria, que a eleição seja feita exclusivamente via internet, e não em urnas convencionais. As demais regras serão discutidas pela Comissão. A categoria também elegeu, por aclamação, os nomes que irão compor a Comissão:

Titulares:
- Caio Teixeira
- Clarrisa Peixoto
- Maria José Baldessar
Suplentes:
- Mirela Vieira
- Áureo Moares
- Luís Henrique Prates

Foi aprovado que a eleição ocorra nos dias 25 e 26 de agosto, 30 dias antes do término da atual gestão, que acontece em setembro. Cada diretoria tem mandato de três anos.

Círculo da Palavra discute, dia 14, Liberdade de Expressão e Jornalismo

O Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina (SJSC) irá promover mais uma edição do Círculo da Palavra, no dia 14 de junho, terça-feira, das 19h30 às 21 horas, no mini-auditório da FECESC (Av. Mauro Ramos, 1624, na frente do banco redondo), com o tema “Liberdade de Expressão e Jornalismo: a diferença que o STF não compreendeu”. Os debatedores serão o jornalista e historiador Celso Martins e o jornalista e procurador do Estado João dos Passos Martins Neto.

Celso Martins da Silveira Júnior é jornalista e historiador, nascido em 23/11/1955 em Laguna-SC. Reside em Florianópolis desde a infância. Ingressou no jornalismo em 1976, exercendo as funções de repórter, editor e chefe reportagem em diversos veículos até 2007. É bacharel e licenciado em História (Udesc, 2003-2007). Editor do Portal de Notícias Daqui na Rede (diário) e do Daqui Jornal (mensal) no distrito de Santo Antônio de Lisboa (Florianópolis-SC). Autor de nove livros de reportagens sobre Anita Garibaldi, o PCB em Santa Catarina, Farol de Santa Marta, Santo Amaro da Imperatriz/Caldas e o Combate do Irani (Guerra do Contestado).

João dos Passos Martins Neto é professor dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre e Doutor em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina, com Pós-Doutorado pela Universidade de Columbia, Nova York, Estados Unidos. Autor dos livros Introdução à filosofia política de Thomas Hobbes (OAB Editora), Direitos fundamentais: conceito, função e tipos (Editora Revista dos Tribunais) e Fundamentos da liberdade de expressão (Editora Insular). Procurador do Estado. Corregedor-Geral da Procuradoria Geral do Estado de Santa Catarina. Presidente da Fundação José Arthur Boiteux.
Fonte: SJSC

8 de junho de 2011

Em defesa da CASAN pública e dos trabalhadores

Os trabalhadores da Casan realizaram um paralisação de suas atividades nessa quarta-feira (8), durante todo o período da manhã. O movimento se estendeu por todas as regiões do Estado, com adesão massiva da categoria.

"Essa jornada de lutas demonstra a unidade dos trabalhadores em torno de melhores condições para o fechamento do acordo coletivo, mas também em defesa da Casan pública e de qualidade", afirma Odair Rogério da Silva, presidente do Sindicato.

A Diretoria da Empresa apresentou uma proposta de acordo, na tarde de ontem (7). Mesmo contendo progressos, ainda é insuficiente em relação às reivindicações da categoria.

Caso as negociações não avancem até a data indicativa de assembleia geral, em 16 de junho, os servidores podem decidir pelo estado de greve por tempo indeterminado.

As paralisações estão diretamente ligadas à preocupação e ao descontentamento dos trabalhadores a uma série de medidas tomadas e/ou anunciadas pela Diretoria da Casan e pelo Governo do Estado. Entre elas:

1) A venda de 35% de ações da Casan;
2) A reestruturação administrativa da empresa, aprovada pela assembleia dos acionistas, em 30 de abril. Os servidores exigem a redução do número de diretorias – de 13 para cinco – e de assessores, o que tem transformado a Casan em um verdadeiro cabide de empregos;

3) A indicação dos conselheiros:
Ênio Branco - Responde há dezenas de processos na justiça, tendo inclusive seus bens bloqueados por determinado período;
Saulo Sperotto - Ex-prefeito de Caçador, cassado pela justiça por crime eleitoral – abuso de poder econômico;
Pedro Bittencourt Neto - Aposentado por invalidez pela ALESC, segundo informações publicadas pela imprensa;

4) A demissão de servidores, anunciada pelo presidente Dalírio Beber, em caso de municipalização de novos sistemas;

6) O aumento de 22% nos salários dos Diretores da Casan, enquanto aos trabalhadores negam o pagamento do INPC e a manutenção das cláusulas do acordo coletivo 2010/2011.

5 de junho de 2011

Santos 3 x 1 Avai

Terceira rodada e nenhuma vitória. A lanterna já tá fazendo calo.

Ato em defesa do Hospital Florianópolis

Na próxima segunda-feira, dia 06 de junho, às 18h30, ogabinete do vereador Dr. Ricardo Vieira (PCdoB) juntamente com associações,entidades e sindicatos promoverão, no Teatro Álvaro de Carvalho, um ato emdefesa do Hospital Florianópolis.

Este Hospital, que já foi referência em atendimento, hojefunciona de forma precária. As obras, que começaram no início de 2010, aindaperduram, sendo que, antes mesmo da reforma, os serviços de lavanderia,laboratório e nutrição já haviam sido privatizados.

Desde o começo deste ano ele encontra-se praticamentefechado, atendendo de forma precária. Dos 80 leitos, restaram-se apenas seis.

Osplanos do Governo do Estado é entregá-lo para uma Organização Social (OS) apósa reforma feita com dinheiro público e com auxílio financeiro da AssociaçãoAmigos do Hospital Florianópolis (AHFlor).

Para o parlamentar, entregar o HF para uma OS administrar é privatizá-lo, já que passará a nãoatender mais 100% SUS e através de convênios privados.

“Isso significará maiorredução no atendimento à população já tão carente dos serviços de saúde”,afirma.

Dr. Ricardo ressalta a importância da unidade dos movimentos sociais edas comunidades neste momento.

“É necessário que todos se unam em prol dareabertura deste Hospital e pela garantia do serviço público, atendendo 100%SUS.

Ato em defesa do Hospital Florianópolis
Quando: 06 de junho (segunda-feira)
Horário: 18h30
Local: Teatro Álvaro de Carvalho (Rua Marechal Guilherme, nº 26 – Centro).

4 de junho de 2011

Figueira 2 x 0 Atlético-GO

Vitória, seis pontos na tabela, um atrás do lider Palmeiras, por enquanto. Amanhã tem Avai.

3 de junho de 2011

Ato público em defesa do Hospital Florianópolis no TAC dia 6 tem

Na próxima segunda-feira, dia 06 de junho, às 18h30, no Teatro Álvaro de Carvalho acontecerá um ato público contra a privatização do Hospital Florianópolis. O hospital, administrado pelo governo do estado, está em reformas e praticamente fechado.

A idéia do governo é de passar a administração do hospital para uma Organização Social (OS), o que significa privatizar a gestão do hospital, tornando o atendimento à população usuária exclusivamente do SUS mais precário. Pois, a unidade passaria a atender também convênios privados que possibilitam a obtenção de lucros com a saúde.

O objetivo do ato é demonstrar a preocupação da comunidade com o hospital para que ele volte a atender logo com toda a sua capacidade e continue 100% público. Representantes do Sindicato dos Jornalistas devem comparecer ao ato, demonstrando que o SJSC está junto na luta por saúde pública de qualidade. A organização do ato é do mandato do vereador de Florianópolis, Dr. Ricardo (PC do B).

O Sindsaúde/SC e Sindprevs/SC preparam seminário na próxima quarta-feira (9/6) sobre a ameaça da OS no HF. A deputada Ângela Albino (PC do B) solicitou, hoje (2), na Alesc, a realização de uma audiência pública a respeito da situação do hospital. Programe-se! Por: Silvia Agostini Pereira (MTb/SC 3890 - JP)

1 de junho de 2011

Assembléia vai escolher comissão eleitoral para eleições no SJSC

Edital de Convocação

Pelo presente Edital ficam convocados os associados do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina, para Assembléia Geral Extraordinária a realizar-se em Florianópolis no dia 10 de junho de 2011 no Mini-auditório da FECESC, na Avenida Mauro Ramos 1624, Centro, às 10 horas em primeira convocação, com o número regulamentar, e às 10h30min, em segunda e última convocação, com qualquer número de associados presentes a fim de deliberar sobre a seguinte Ordem do dia:
1 – Discussão e Eleição da Comissão Eleitoral, conforme regulamento eleitoral previsto no Estatuto do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina;
2 – Encaminhamentos.
Florianópolis, 23 de maio de 2011.
Rubens Lunge
Presidente