21 de outubro de 2009

Servidores do judiciário paralisados, divulgam carta a população

Os servidores do Judiciário catarinense vão interromper o trabalho hoje, (21) por duas horas, desligando todos os computadores das 14h às 16h em todas as comarcas do estado. Na capital os trabalhadores farão ato em frente ao Tribunal de Justiça (TJ). Em todos as cidades a caegoria vai distribuir uma carta à população. O objetivo é exigir do TJ uma resposta à pauta de reivindicações da categoria entregue em abril e ainda sem resposta.

Leia a CARTA À POPULAÇÃO que será entregue durante a paralisação.


Servidores e máquinas parados! Hoje, no Estado todo, os trabalhadores do judiciário vão paralisar os trabalhos, das 14 às 16 horas. Antes e depois desse horário, o atendimento à população será normal. Nossa intenção é fazer uma advertência às direções do Judiciário no Estado e no país e à própria sociedade.
Nossa meta é a Justiça! O número de processos judiciais cresce diariamente. Conflitos próprios de uma sociedade desigual e da negação de direitos às pessoas se transformam em processos.
O programa Meta 2 pretende julgar todos os processos ajuizados até dezembro de 2005. Todos têm direito a um julgamento rápido, não apenas os banqueiros. Mas ao acelerar o julgamento de processos, o CNJ ignora a realidade.
Faz isso de cima para baixo, e exige mais trabalho, ampliando formal ou informalmente as horas trabalhadas, com ameaças ou promessas aos juízes.
Ignora que hoje, em SC, mais de 40% das pessoas que estão nos fóruns são trabalhadores precários, contratados como terceirizados e estagiários. Mais do que um processo rápido, nós servidores, defendemos a Justiça.
Assegurar direitos é o caminho para o desenvolvimento social! No judiciário os trabalhadores também lutam para assegurar seus direitos.
Questões básicas da data-base 2009 permanecem sem resposta, e a Administração do TJ, num ato de desrespeito, rompeu as negociações com a categoria.
Não apresenta respostas para questões simples, como o reajuste do auxílio-alimentação, defasado desde 2004.
Assegurar direitos é uma forma de distribuir riquezas, combater desigualdades, e criar um país socialmente mais justo. E nós defendemos isso!
Por isso, hoje vamos parar por duas horas, esperando que a Administração atenda às reivindicações da categoria e novas paralisações não sejam necessárias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...