23 de julho de 2011

Manifesto – Chapa 1 - Sindicato MAIS Forte é Sindicato Presente!








MANIFESTO DA CHAPA QUE ESTÁ EM TODOS OS CANTOS DE SANTA CATARINA

Os jornalistas da Chapa “Sindicato MAIS Forte é Sindicato Presente!”, representantes dos diversos pensares da e sobre a categoria no Estado de Santa Catarina, lançam este documento com o objetivo de chamar a todos e a todas para participar do processo eleitoral no Sindicato dos Jornalistas, a debater as propostas apresentadas e a votar nos dias 25 e 26 de agosto.

A nossa participação nasce do entendimento de que a atual gestão está no caminho certo, por todas as lutas locais, estaduais e nacionais das quais participou.

Em especial, porque a atual Direção do Sindicato dos Jornalistas efetivamente ampliou a participação e demonstrou, em momentos importantes para todos os jornalistas, mais do que empenho: que não tem medo da luta.

Foi assim em Lages, para mudar e melhorar as relações de trabalho no Correio Lageano. Da mesma maneira, foi assim em Concórdia, para colocar na ordem do dia da Prefeitura a necessidade de adequar o salário de um concursado ao seu nível de formação e de responsabilidade.

Também assim o foi nas câmaras de vereadores de inúmeros Municípios, em que diretores do atual mandato defenderam leis sobre o acesso a cargos públicos exclusivos para jornalistas.

Foi assim, com garra e com vontade, que se fez a luta junto com o Ministério Público Federal contra o oligopólio da mídia no Estado, e assim também o foi para alcançar ganhos reais de mais de 7% no piso salarial da categoria, fato inédito na história de nosso Sindicato.

Assim o foi também na árdua tarefa de manter na íntegra o projeto de lei que exige a formação superior em jornalismo para o exercício de nossas funções no serviço público estadual.

É preciso destacar aqui a perseverança da atual Direção do SJSC, que abriu diálogo com o Executivo do Estado e seus representantes em janeiro de 2011, e com o Executivo debateu a constitucionalidade do projeto e defendeu a sua implementação junto ao Governo e em todos os gabinetes de deputados estaduais, um a um.

A tarefa foi vitoriosa e concluída, reconhece a atual Direção, porque jornalistas que atuam no governo, na Assembléia Legislativa, nas empresas, nas entidades, e os que estão desempregados ou fazendo frila, se uniram quando chamados.

Por tudo isto e por muito mais desejamos e estamos comprometidos com uma organização estadual do Sindicato cada vez mais forte, por sua presença e por suas ações, para que a entidade atenda às demandas do coletivo, acima de tudo, e de cada um e de cada uma, dos que estão na categoria, daqueles que nela ingressarão em breve e no futuro, e possamos cumprir a missão que a sociedade catarinense nos delega.

Nosso compromisso também é o de fazer um Sindicato Presente porque ele o é deste tempo, cujas demandas no campo da relação de trabalho se configuram com as questões apresentadas pela atualidade, pelo avanço da tecnologia, e por formas de atuação e de contratação de jornalistas que são as deste momento.

Compreendemos a instância sindical como um espaço de amplos debates, cujo eixo central se estabelece com o cumprimento do Estatuto da entidade, e alcança a inserção do Sindicato, enquanto tal, nas relações sociais, e deve levar em conta que a categoria é constituída pelos pensamentos e diferenças existentes na sociedade e a todos deve atender.

Os debates estaduais, nacionais e internacionais sobre o jornalismo e os jornalistas devem ser colocados abertamente e sem temor a todos, sob a orientação e o princípio da lei, da democracia plena e da participação do coletivo.

Ao contrário, ao fechar os olhos dos jornalistas para o mundo que nos cerca, e para as direções que ele caminha, faz-se a defesa da exclusão da categoria dos debates e do rumo que a sociedade, no seu conjunto, toma, em lugar da inclusão; de criarmos uma categoria que anda para um lugar diferente daqueles que os que nos antecederam propuseram e lutaram, e que, em resumo, é a ampla democracia.

Entre os temas candentes, que estabelecem a pauta dos jornalistas brasileiros, apontamos que não está concluído o debate sobre a regulação da atividade de assessor de imprensa, a qualidade dos cursos de jornalismo e as novas orientações do Ministério da Educação para a grade curricular, o estágio, a regulamentação da profissão e a concessão de registro profissional pelo Ministério do Trabalho e Emprego, a decisão do Supremo Tribunal Federal quanto à exigência da formação superior específica, as emendas constitucionais que alteram a decisão do STF e os tratados internacionais assinados pelo Governo Brasileiro em conjunto com os demais países das Américas, e todos os reflexos que qualquer uma das questões citadas tenha ou possa vir a ter sobre quem somos, como somos e o que fazemos.

Ao lado das grandes preocupações internacionais e nacionais, queremos consolidar um Sindicato de categoria forte e atuante em todo o Estado. Para tanto, estamos empenhados em prosseguir na instalação de delegacias locais, com colegas representando a categoria na empresa em que trabalham, na sua atividade ou no local em que residem.

Para implementar e consolidar a proposta, assumimos o compromisso de imediatamente realizar o debate e apresentar um novo Estatuto para o Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina, colhendo as opiniões de todo o Estado, que atualize e modernize o documento que rege a entidade e os seus filiados.

Jornalistas de Santa Catarina, o nosso sindicato é uma organização sempre em construção, que deve respirar, e se permitir sentir os sentimentos, os desejos, as orientações, os olhares e os pensares de todos que compõem a categoria em todo o Estado, para que se faça forte com as diferenças da natureza de cada região, de cada orientação política e filosófica, o pensar e o fazer de cada um.

Juntos somos mais fortes! Mais fortes somos presentes! Com mais força e mais presença, mais lutas haveremos de vencer!

Santa Catarina, Julho de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...