2 de fevereiro de 2010

"Par da Oktoberfest", recebeu o piso e trabalhou cinco horas

Lembram que em outubro de 2009 a RBS realizou uma promoção chamada "Par Oktobefest" onde os serviços de duas pessoas durante dois meses seriam pagos apenas com a alimentação. Na época o Sindiato dos Jornalistas obteve uma liminar na justiça que suspendia o concurso em que a empresa usaria o casal na condição de escravos.
A ação continha provas de que a empresa usaria material jornalístico do Par da Oktoberfest durante 60 dias sem pagamento aos seus autores. Os escolhidos teriam que ficar em Blumenau bancando os custos da estadia e receberiam da RBS, em lugar de salário, duas refeições por dia.
Pois bem, nesta segunda-feira, 1º de fevereiro a Justiça encerrou o processo em que a RBS foi obrigada a suspender o concurso “Par da Oktoberfest” em Blumenau. A empresa apresentou defesa escrita na 6ª Vara da Justiça do Trabalho em Florianópolis, informando ter cumprido todas as determinações da liminar concedida ao Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina.
A RBS também apresentou documentos de contratação do casal vencedor do concurso, com pagamento do piso salarial da categoria pela jornada de cinco horas, durante oito dias de atividade. Já nas redações dos jornais das empresas Sirotski, continua o arrocho e a sobre jornada.
“O fim deste processo não significa que o caso esteja encerrado”, disse o presidente do SJSC, Rubens Lunge. Tá tudo aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...