23 de setembro de 2010

"Faltou com a verdade"


Reproduzo artigo do presidente do Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina, José Fritsch, sobre o debate entre os candidatos ao governo na Rede Record, quando Ideli, mais uma vez, contestou Raimundo Colombo sobre a contrução do Hospital em Lages.

Colombo precisa mentir
Por: José Fritsch, presidente do Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina.

A oligarquia Bornhausen, representada pelo Candidato Raimundo Colombo, do DEM, trata o povo catarinense com falsidades e ironia. Diz uma coisa, mas pensa e faz outra. No debate da rede Record de segunda-feira (20), Colombo foi desmascarado ao vivo. Sim, o candidato que representa a oligarquia foi literalmente “pego na mentira”.

Vangloriou-se, Raimundo Colombo, da construção de um “hospital” em Lages quando, na verdade, concluiu somente uma ala menor que um pronto socorro. É o cúmulo do deboche. A propaganda enganosa foi denunciada e julgada pelo TRE que, sutilmente, sentenciou: o candidato “faltou com a verdade”. Uma forma mais polida de afirmar que mentiu.

Sigo a mesma lógica adotada pela candidata Ideli Salvatti no debate, para quem o comportamento é “inadequado à conduta ética de uma disputa eleitoral”. A premissa de Colombo é de que vale tudo para tentar ganhar as eleições, inclusive continuar enganando o povo.

O debate político deve ser aberto, franco, precisa expor os limites e possibilidades de um governo à sociedade. Por isso questionamos o comportamento político e as consequências de uma mentira dessa natureza. Óbvio que ironizar e mentir ao povo, como Bornhausen fez quando respondeu ao presidente Lula, é a lição da escola política da candidatura de Raimundo Colombo.

Quando o candidato do DEM propaga – inclusive em seu programa de TV – que o “hospital construído” é obra de sua gestão enquanto prefeito de Lages, além de mentir, expõe a sua ineficaz passagem no Senado. Deixa de prestar contas de seu trabalho como senador, porque de fato nada fez por Santa Catarina, e divulga a construção de um hospital imaginário, subestimando a inteligência dos lageanos e buscando enganar a todos catarinenses.

No mesmo debate Colombo critica a saúde em SC. Novo engodo. As deficiências do setor de saúde, criticadas por Colombo, são o resultado da administração da Tríplice Aliança, força política que ele hoje representa. Ou seja, além de mentir, tentando exibir-se como um prefeito “realizador”, o candidato do DEM, que nada fez por Santa Catarina como senador, busca confundir a população.

A senadora Ideli, que não foi prefeita de Lages, será governadora de Santa Catarina falando a verdade. E a senadora tem muito a falar. Não de hospitais imaginários, mas do sistema de saúde que precisamos. Ninguém conhece o trabalho do senador Colombo, que precisa inventar obras. No senado, Ideli apresentou mais de 21 projetos de lei e três emendas à Constituição, melhorando a vida dos brasileiros. Seu primeiro projeto foi a Lei do Parto, garantindo às gestantes o direito de escolher um acompanhante durante o nascimento de seu filho.

Ideli propôs que o Sistema Único de Saúde distribuísse gratuitamente a vacina contra o câncer do colo do útero, terceira causa de morte por câncer entre as mulheres. A nossa senadora, que não precisa inventar obras, garantiu dinheiro para a educação, gerando somente em 2010 mais de R$ 7,7 bilhões e em 2011 mais de 10 bilhões, com o fim da Desvinculação de Receitas da União (DRU).

Ideli, entre diversos prêmios, recebeu o troféu “Cabeças do Congresso” em 2004, 2006, 2007, 2008 e 2009, promovido anualmente pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar e entregue aos 100 parlamentares mais influentes no Congresso Nacional.

Eleger Colombo significa, entre outros retrocessos, o retorno da família Bornhausen ao poder, para concretizar seus interesses e negócios à custa da maioria da população. O que está em disputa em Santa Catarina e no Brasil é qual o modo de fazer política que queremos. Santa Catarina não pode mais ficar na contramão da história. O nosso povo continua pagando alto preço pela conduta de governantes que pretendem continuar debochando dos catarinenses.

A oportunidade dos catarinenses, nessa eleição, é entrar no ciclo de transformações sociais e desenvolvimento econômico que o Brasil está vivendo. E isso só é possível a partir de um governo verdadeiro e comprometido com a maioria. Exemplo disso é o governo do presidente Lula, com mais de 80% de aprovação. Exemplo disso é a eleição de Dilma, que em Santa Catarina já é vitoriosa. Eleger Ideli Salvati para governar nosso estado é eleger um novo olhar para a realidade de todos os catarinenses. Um olhar de verdade e que não inventa feitos para justificar o vazio de trabalho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...