21 de setembro de 2010

Estréia do documentário "Impasse" reúne cerca de 700 pessoas na UFSC

Recebi artigo da jornalista Raquel Wandelli com um relato sobre a estréia do documentário Impasse no último dia 16 de setembro no auditório da UFSC.

Estréia de Documentário Impasse na UFSC mobiliza público inédito

Exibição do esperado documentário sobre o movimento do passe livre em Florianópolis fez público vibrarar como a torcida de um estádio de futebol

O lançamento do documentário Impasse levou cerca de 700 pessoas ao auditório da Reitoria da UFSC, na noite do dia 16 de setembro. A estreia transformou-se em um ato público de apoio ao Movimento Passe Livre e protesto contra a repressão dos manifestantes. Mais da metade do público ficou do lado de fora, no hall, acompanhando o documentário por um telão, interagindo com gestos de apoio ou indignação, lágrimas e gargalhadas do discurso primário e reacionário das autoridades responsáveis pelo transporte público e pela repressão policial.

Foram 80 minutos de comoção. Aglomerados nos corredores, em cima de mesas improvisadas, nas entradas de portas para garantir um lugar, estudantes, professores e trabalhadores em geral aplaudiram de pé o registro histórico e cinematográfico das manifestações ocorridas em maio e junho deste ano contra o aumento da tarifa do transporte coletivo. A resposta ao resultado político e estético do trabalho dos jornalistas Fernando Evangelista e Juliana Kroeger vídeo foi inequívoca: ao final, a plateia se levantou e centenas de pessoas partiram espontaneamente em passeata até a avenida Beira-Mar Norte. “Foi incrível porque não podíamos prever uma reação tão forte”, assinalou Evangelista.

Além de entrevistar estudantes e policiais, protagonistas dos atos de rua, os documentaristas entrevistaram também empresários, usuários e especialistas do transporte. Desse modo, embora posicionado, o documentário não fugiu à polêmica e à pluralidade de vozes que envolvem a questão, mostrando a complexidade e as tensões de todos os lados. Segundo o técnico de som e imagem da UFSC, Joel Cordeiro Filho, o evento bateu recorde de público no local.

A platéia riu, gritou, aplaudiu e ficou chocada com muitas cenas e depoimentos, com destaque para os flagrantes de violência policial e para as afirmações do Secretário de Segurança Pública do Estado. Ele justificou o uso da arma taser (armas de choque) em movimentos sociais e disse que a polícia militar entrou na UDESC para pegar pessoas que cometeram crimes, mas sem especificar quais crimes seriam estes.

O jornalista Cacau Menezes, em sua coluna no Diário Catarinense, relatou que “a platéia reagia a cada cena como se fosse um jogo de futebol”. E, de fato, quase ninguém parece ter ficado indiferente assistindo ao documentário, que tem cenas inesquecíveis, como a de um morador de rua que pega o megafone no final de uma das manifestações e canta No Woman No Cry, música de Bob Marley, sendo acompanhado por dezenas de estudantes.

Para o jornalista e sambista Artur de Bem, presente no lançamento, “Impasse apresenta cenas raras, com um impacto violento, algo que nunca havia sido mostrado em lugar nenhum”. O estudante de geografia Victor Khaled, integrante da Frente de Luta pelo Transporte Público, escreveu no Passa Palavra, site luso-brasileiro, que “o filme é simplesmente fantástico, é engraçado, muito informativo, sério, bem feito e empolgante. Tudo muito mágico e emocionante”.

“O mais gratificante da produção”, afirma a diretora Juliana Kroeger, “foi ter trabalhado com uma equipe muito talentosa e dedicada”. Quase todos os integrantes do documentário são estudantes da UFSC e da Faculdade Estácio de Sá. Impasse, que teve o apoio de 16 entidades, entre elas a Secretária de Arte da UFSC, Secarte, está sendo vendido a R$15 no Diretório Central dos Estudantes (DCE). Maiores informações no site http://www.impasse.com.br/ Raquel Wandelli é jornalista.

Um comentário:

  1. Baixar o Documentário Impasse - http://twixar.com/YbELYqyiifnZ

    ResponderExcluir

Chegou até aqui, então manda o comentário...