7 de junho de 2010

Um dia de corintiano, só um

02 de junho - Ao chegar em casa, Lili me apresenta uma embrulho que havia chego pelo correio. De São Paulo. Pensei: Um presente pra Laura, ela está de aniversário hoje. Engano. O pacote era enderçado a mim. De imediato, tentei lembrar quando tinha sido a última vez que havia recebido uma carta pelo correio que não fosse uma conta. Fui ver o remetente: Ricardo Sehnem, meu primo e compadre, dindo do Eric, o meu mais novo. O que será? Abri o pacote. Uma camiseta e um bilhete:
Olá primo/compadre, tudo bem? Por aqui tudo blz...
Se você vai se tornar mais um louco no bando de loucos, não sei, porém lhe garanto que não se arrependerá. Mas como promessa é dívida, segue o manto sagrado, como havia lhe prometido. guarde (e use de for o caso) com carinho!!! Abraço pra vc, Lili e os pimpolhos.
O "manto sagrado" a que ele se refere é uma camiseta do Corinthians. Resultado de uma promessa feita na mesa do bar. Um processo de convencimento, uma tentativa de me tornar mas um louco. Vesti porque é alvinegra. Mas para que não restem dúvidas pra quem torcemos aqui em casa, falei com ele pelo msn ladeado pelos meus filhos devidamente trajados com o verdadeiro manto sagrado.
Valeu pelo presente primo/compadre, vou cuidar com carinho sim. Na quarta-feira chegamos ai em São Bernardo do Campo, quem sabe eu vá fantasiado de corintiano. Só espero não encontrar nenhum palmeirense.

Um comentário:

  1. Rapaz, ficou muito bem em você. Venha para a nação. Um dia você agradecerá ao seu primo por tão valioso presente.

    ResponderExcluir

Chegou até aqui, então manda o comentário...