13 de janeiro de 2009

Qualificação técnica como critério para ocupar cargo em comunicação

A jornalista Marlise Groth, minha colega na direção do Sindicato dos Jornalistas, assumiu a Coordenação da Comunicação e Marketing da Fundação Cultural de Joinville (FCJ). Com mestrado na área de Educação e Cultura, ela diz que pretende facilitar o fluxo da comunicação na FCJ e estreitar os laços entre a fundação, os meios de comunicação e especialmente com a comunidade.

A competente Marlise destaca que a escolha dos convidados para compor o governo do PT em Joinville não tem sido a filiação ou militância e sim o de qualificação técnica. Louvável essa postura, afinal é preciso que a competência se sobreponha ao compadrio mais comummente utilizado pelos governo, seja Municipal, Estadual ou Federal.

Não faltam exemplos de inaptos assumindo postos importantes, em todas as áreas, mas muito no jornalismo. Diferente disso, quando um posto é ocupado por um profissional qualificado a profissão é valorizada e a sociedade respeitada.

Marlise já foi repórter especial do Caderno Anexo do Jornal A Notícia, professora no curso de Jornalismo da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) e também colaboradora da Univille/Incatec nos cursos de Artes Visuais e Gestão em Comunicação e Eventos. Há dois anos e meio atua como assessora de imprensa na EDM Logos Comunicação Corporativa, em Joinville. Deve ficar por lá mais um mês para assumir definitivamente a nova função.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...