18 de abril de 2012

Trabalhadores do judiciário aprovam greve para o dia 26 de abril

Categoria decide parar 24 horas pelo Plano de Cargos e Salários.

Os trabalhadores do Poder Judiciário do estado reunidos em assembleia geral na manhã desta quarta-feira, (18) decidiram por unanimidade fazer uma greve de 24 horas no próximo dia 26 de abril. A paralisação acontece por conta do rompimento do acordo entre o TJ e a direção do SINJUSC feito há dois anos quando a administração se comprometeu a implementar um novo PCS – Plano de Cargos e Salários para os trabalhadores.

A decisão de paralisar leva em conta a intenção da administração do TJ de sepultar o PCS dos trabalhadores. Um parecer elaborado pela assessoria da presidência do TJ, datado de 29 de março, mas entregue ao sindicato apenas no dia 12 de abril aponta claramente para esse caminho.

Uma nova assembleia geral, já com indicativo de greve, foi marcada para o próximo dia dois de maio, mesmo dia em que acontece a reunião do Pleno do TJ que vai analisar com base no parecer do Juiz assessor da presidência do TJ, Laudenir Petroncini, o PCS da categoria.

O Plano de Cargos e Salários vinha sendo discutido entre TJ e SINJUSC desde 2010. O projeto, hoje com 932 páginas, já havia sido aprovado pelo Conselho de Gestão do TJ e no final do ano passado, em discussão no Tribunal Pleno do dia quatro de dezembro, obtive nove votos favoráveis a sua aprovação.

Na decisão do Tribunal Pleno em dezembro do ano passado foi determinado ao então Presidente eleito, Cláudio Dutra, um prazo de 100 dias para a realização de estudos visando a implementação do plano.

Em fevereiro, durante a primeira reunião com a direção do SINJUSC, o presidente Claudio Dutra garantiu que o PCS era irreversível, para em seguida respaldado em um parecer administrativo, com vários dados manipulados, tentar engavetar o projeto do PCS dos trabalhadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...