4 de novembro de 2011

Trabalhadores recolhem assinatura pelo reajuste do piso estadual

O abaixo assinado está disponível para impressão no site http://www.fecesc.org.br/.

Temendo que a espera pelo reajuste do piso estadual se repita como no ano passado, os trabalhadores estão colhendo assinaturas em um abaixo assinado para a entrada de um Projeto de Lei de iniciativa popular na Assembleia Legislativa estipulando o valor do reajuste. Segundo o coordenador sindical do DIEESE/SC Ivo Castanheira, “a medida é de precaução, caso os trabalhadores não tenham sucesso nas negociações”.

A coleta das assinaturas está sendo realizada por sindicatos e entidades ligadas aos trabalhadores dos mais diversos segmentos por todo o estado. Na próxima semana, durante os dias 16, 17 e 18, está previsto um mutirão de recolhimento pelas ruas de Florianópolis.

A expectativa dos trabalhadores é de que, assim como no ano passado, o acordo seja estabelecido, porém, eles temem pela lentidão do Governo do Estado. O receio é de que, depois de feito o acordo, o Governo do Estado demore a encaminhar o projeto para a Alesc como fez anteriormente. É importante para todos os trabalhadores catarinenses que a matéria seja votada pelos deputados antes do recesso.

A Lei Complementar Estadual nº 459/2009 estabelece que o valor do reajuste deve ser negociado entre patrões e empregados. Após isso, o governo do Estado encaminha a proposta à Assembleia Legislativa para que seja votada. Se não houver acordo entre as partes interessadas, o próprio governo pode definir o percentual do reajuste.

Os trabalhadores reivindicam o mesmo reajuste que será aplicado ao Salário Mínimo nacional, ou seja, o percentual correspondente ao PIB de 2010 e o percentual acumulado do INPC do ano de 2011. “Ao acumular esses dois índices, teremos algo em torno de 14% de reajuste”, explicou Castanheira. Desta forma, a menor faixa do piso salarial estadual passaria de R$ 630,00 para cerca de R$ 718,00 e a maior faixa de R$ 730,00 para R$ 832,00. Fonte: FECESC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...