26 de novembro de 2012

Seminário aponta caminhos para o audiovisual no Sul do Brasil

Produtores e profissionais dos três Estados têm encontro com a Ancine e Brde. Discutir e apontar linhas de investimento para o Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul para o audiovisual é o assunto Seminário do Programa de Desenvolvimento do Audiovisual na Região Sul (Prodav/Sul), que ocorre dias 26, 27 e 28 de novembro no Florianópolis Palace Hotel (Floph). Há previsão de verbas do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) da Agência Nacional de Cinema (Ancine) que podem ultrapassar a casa dos R$ 600 milhões para todo o Brasil em 2013.

Mas para que os recursos sejam destinados, é necessário que as entidades representativas e associações de classe do setor planejem estratégias e trabalhem junto com as produtoras independentes. A parceria é no sentido de estimular a criação de projetos para que haja o desenvolvimento de cenário produtivo capaz de absorver o investimento do FSA. O seminário está sendo realizado com o objetivo de ampliar e profissionalizar a cadeia produtiva do audiovisual no Sul do Brasil.

Com o tema “Ideias, mercado e caminhos para o audiovisual”, as discussões serão desenvolvidas a partir de seis eixos: Formação técnica, artística e empresarial; Desenvolvimento de projetos e formatos audiovisuais; estímulo a conteúdos transmídia; Estímulo à organização de arranjos de produção local; Investimento em infraestrutura e tecnologias de produção; Fomento à produção de conteúdos (aplicação em editais públicos e fundos regionais); Investimento em infraestrutura de exibição, difusão, promoção e circulação dos conteúdos.

Participam do encontro representantes do Banco Regional do Extremo Sul (Brde), da Ancine e de entidades representativas do audiovisual do três Estados do Sul. Mas há também programação aberta ao público, como a apresentação do seminário, no dia 26, das 10 às 12 horas, no dia 27, às 19h30, com a palestra sobre o tema “Arranjo Produtivo Local (APL)”, com técnicos da Ancine, e o encerramento no dia 28, às 17h, com a presença de representantes dos governos do PR, RS, SC e Ancine/Brde.

Um dos efeitos provocadores do seminário é a lei federal 12.485, que tramitou durante cinco anos no Congresso Nacional e foi aprovada em 2011. O dispositivo prevê que a que metade da cota nacional de programação para TVs a cabo seja produzida por empresas que não sejam vinculadas a grupos de radiodifusão, abrindo um novo mercado nacional com uma demanda de 1.070 horas anuais de conteúdos nacionais e independentes inéditos.

Segundo Ralf Cabral Tambke, presidente do Santacine, já houve reuniões em Curitiba e Porto Alegre e o encontro em Florianópolis vai culminar com a elaboração de um documento final, contemplando as expectativas e necessidades do setor. O seminário é realizado em Florianópolis pelo Fundo Municipal de Cinema (Funcine), e é organizado também pela entidade em parceria com o Sindicato da Indústria do Audiovisual em Santa Catarina (Santacine) com o apoio da Ancine e Brde. Fonte: Funcine

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chegou até aqui, então manda o comentário...